A Convenção Batista Brasileira vai continuar a produzir literatura para as igrejas

0

Com o lançamento do Plano Diretor de Educação Religiosa (PDER) na Assembleia da Convenção Batista Brasileira (CBB), a ser realizada em Niterói entre os dias 21 e 25 de janeiro, diversos pastores e líderes têm perguntado se a CBB vai continuar produzindo literatura para as igrejas. Sem dúvida nenhuma a CBB vai continuar a produzir a literatura. Não haverá interrupção no atendimento às igrejas. Não é esse o propósito do PDER.

Aliás, estamos trabalhando para que o PDER seja implantado de forma paralela ao sistema atual existente, para que as igrejas e líderes não tenham quaisquer prejuízos. Essa é uma abordagem muito comum na área de informática quando necessitamos implantar um sistema novo, mas sem criar turbulências no andamento da instituição ou empresa. Chamamos isso de implantação em paralelo.

Os educadores que estão estudando o PDER já estão descobrindo que serão necessários cerca de 10 anos para que esteja implantado de forma ampla. Isso porque o PDER trás uma maneira radicalmente diferente de se fazer educação.

Nestes 5 anos que tenho trabalhado junto a diversas comissões, grupos de trabalho e Comitê de Educação Religiosa da CBB, notei que quando falávamos num novo projeto de Educação Religiosa para as igrejas batistas brasileiras logo surgiam perguntas sobre currículo, literatura e estrutura da EBD. Descobrimos que o sistema educacional que adotamos ao longo dos anos acabou gerando uma redução considerável no que os educadores chamam de “educação”, isto é, “educação” passou a ser currículo, literatura e estrutura e, até mesmo, apenas “EBD”. Mas também notei que, para alguns educadores, “educação” significava também “metodologia” pedagógico-didática. Praticamente todos os livros que temos sobre educação religiosa seguem estas ênfases. Para o PDER “educação” é muito mais do que isso tudo.

O PDER buscou superar essas reduções e focalizou alguns pontos essenciais:

1. Educação orientada por uma Teologia e Pedagogia cristã;

2. Educação voltada para a pessoa integral (saber-refletir, fazer, sentir, conviver e ser) e orientada por uma Pedagogia integral;

3. Educação orientada por objetivos educacionais;

4. Educação construída a partir da realidade e necessidades de cada igreja local.

Você pode estar perguntando: Mas e o currículo, a literatura, a estrutura, a metodologia pedagógico-didática? Tudo está incluído nestas matrizes fundadoras do PDER. Vejamos:

1. Se a educação deve ser orientada por uma Teologia e Pedagogia cristã, então o conteúdo curricular (também a literatura e as aulas) deverão se alicerçar nesta fonte de verdade para nós!

2. Se a educação deve ser voltada para a pessoa integral e orientada por uma Pedagogia integral, então a estrutura da educação na igreja local deverá considerar a pessoa e a Pedagogia integral. Como consequência, a literatura também deverá atender esse alvo!

3. Se a educação será orientada por objetivos educacionais, tendo a sua construção a partir da realidade e necessidades de cada igreja local (veja que unimos estes dois pontos, pois assim fizemos no PDER), a literatura deverá atender os objetivos educacionais gerais para todas as igrejas, mas também os objetivos específicos e contextuais de cada igreja local! Uma educação “caseira”.

Você pode ver que estas modificações na produção da literatura educacional para a igreja vai ao longo do tempo ter de ser replanejada. Eu diria: Reinventada. E a CBB, por intermédio da Editora Convicção, já está se preparando para este novo e fantástico momento em que cada igreja local poderá ser atendida dentro de suas necessidades locais. Enquanto isso não é possível com o sistema atual, a CBB vai continuar utilizando a estrutura atual para produzir e fornecer a literatura para as igrejas, como tem feito nestas últimas décadas. O desafio já está assumido pela Editora Convicção, e o Departamento de Educação Religiosa estará passando por transformações a partir de 2011 para atender essa demanda do PDER em benefício das igrejas locais.

Você talvez esteja fazendo ainda duas perguntas:

1. Como conseguir produzir literatura especial para a igreja local em suas necessidades específicas e contextuais? O segredo aqui é que o PDER não considera a CBB como única fornecedora de literatura para as igrejas. Sozinha ela não vai conseguir atender essa demanda para um país continental com tantas diferenças. Então o PDER prevê que o Conselho Geral nomeie uma comissão permanente de especialistas (pastores, teólogos, líderes, educadores, etc) para certificar editoras confiáveis para as igrejas se valerem de outras alternativas de literatura para atender o currículo que será construído dentro, e a partir, do próprio “chão da igreja”.

Como, então, cada igreja pode construir o seu próprio currículo, se nem sempre elas têm condições de possuir educadores? Aqui tratamos o tema da seguinte maneira:

a) O PDER é um plano para ser implantado ao longo de uma década pelo menos e necessitará de todo empenho da direção da CBB em fortalecer e apoiar o Departamento de Educação Religiosa da CBB (que será o responsável pela implantação e implementação do PDER, pois o Comitê já cumpriu o seu papel elaborando o PDER);

b) Cada Convenção estadual ou regional necessitará se engajar numa rede que está sendo criada (chamamos no PDER de rede capilarizada) para atender a divulgação, a capacitação e assessoria às associações regionais e igrejas locais na implantação do PDER em nível nacional;

(c) O PDER tem prevista a elaboração de um Manual do Projeto Pedagógico, que servirá como um roteiro para ajudar cada igreja a elaborar o seu próprio projeto pedagógico (que inclui estrutura, currículo, previsão de conteúdo – isto é literatura -, avaliação, etc). Este manual está agora sendo produzido e deve estar concluído até agosto de 2011. Neste manual estamos prevendo inserir alguns exemplos práticos de projetos pedagógicos, que vão ajudar as igrejas, que não possuem condições, a elaborar o seu próprio projeto.

Ao longo destes 5 anos em que o PDER foi elaborado foi possível descobrir inúmeras igrejas (pequenas, médias e grandes) que já estão há algum tempo praticando com sucesso educação nos mesmos ideais.

Como você pode ver, o PDER é um plano educacional bem diferente que foi elaborado para atender às igrejas locais a partir de suas próprias necessidades, sem se descuidar de uma sadia Teologia e Pedagogia cristã, mas também sem se descuidar do planejamento cuidadoso e cauteloso de implantação.

Enquanto o Brasil batista não for “invadido” pelo PDER, a CBB continuará a atender normalmente às igrejas e líderes. À medida que o PDER vai sendo implantado, as melhorias no sistema vão se realizando por meio do Departamento de ER da CBB e da Editora Convicção, que vai assumindo o comando da produção literária para nosso povo.
Vamos caminhar juntos nesse empreendimento.

O Pr. Lourenço Stelio Rega é o relator do Comitê de Educação Religiosa da CBB
Extraído do Jornal Batista

ARTIGOS SIMILARES

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda