A comunhão da ovelha com seu pastor

0
749

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Ora o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. Eu conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido” – João 10.11, 13-14.

No aspecto humano, a igreja de Cristo na face da terra é constituída de ovelhas e pastores. As ovelhas formam o rebanho local que o pastor irá conduzir e cuidar, pastorear. Mas, para que esse trabalho tenha brilho, alcance resultados e seja frutífero é preciso existir comunhão entre ovelhas e o pastor.

O Senhor Jesus, no texto do Evangelho de João apresentado anteriormente, nos ensina o valor da comunhão entre ovelha e pastor. O Senhor Jesus se apresenta como o modelo. Ele é o supremo Pastor, o bom Pastor. E podemos aprender com Jesus três fatos que marcam a comunhão entre a ovelha e o pastor.

Primeiramente aprendemos com Jesus que o pastor reúne suas ovelhas em um só rebanho. Reunir é “unir em torno de”, e Jesus busca com isso a unidade da sua igreja. De igual modo a alegria do pastor é ver a igreja que pastoreia unida, reunida em torno dos alvos e planos de trabalho, onde uma ovelha está próxima da outra. Unir-se é esquecer as diferenças. Nenhuma ovelha no rebanho do Senhor é igual a outra. Se formos olhar para nossas diferenças nunca seremos igreja, nunca seremos rebanho do Senhor.

A ovelha é um animal afetuoso, dócil, meigo, submisso e dependente. É muito fácil uni-las em um rebanho, pois elas são animais extremamente obedientes. As ovelhas do rebanho de Jesus precisam ter essas características, pois do contrário a soberba, a rebeldia, o orgulho e a vanglória tomarão de assalto o coração da ovelha, comprometendo desta forma a unidade da igreja de Cristo. Ovelhas obedientes ouvem a voz do seu pastor, contribuindo assim para o bom andamento do trabalho e o progresso do Evangelho.

Contudo, também aprendemos com Jesus que Ele guarda suas ovelhas da destruição. Os destruidores do rebanho estão por toda parte espalhando heresias e ensinamentos falsos, mas o Senhor Jesus guarda suas ovelhas de seguirem por esses caminhos de engano.

Tomemos cuidado com o caminho dos mercenários. O caminho do mercenário é o caminho da destruição. Ouçamos a voz do pastor, pois ele está nessa posição para guardar a ovelha e a guiar no caminho do Senhor. O pastor humano recebe do Pastor divino o alimento para a saúde espiritual das ovelhas para que elas não sigam no caminho da destruição.

Quando a ovelha segue a orientação do seu pastor há comunhão, bênçãos, realizações, frutos e vitórias.

A ovelha de Jesus não busca a destruição, mas sim a plenitude do viver espiritual numa vida de comunhão com Deus e sua igreja. Assim, como Jesus conhece as suas ovelhas e as ama, as ovelhas também conhecem o seu pastor e o amam.

Por último, aprendemos com Jesus que Ele guia suas ovelhas a um bom pasto. A preocupação do pastor com o alimento para suas ovelhas é constante. Encontramos em Jesus o exemplo maior, pois, além de dar o melhor alimento, Ele deu sua própria vida para a salvação das ovelhas. Na região da Palestina ainda hoje é comum a figura do pastor com seu rebanho de ovelhas. O pastor conhece as suas ovelhas uma a uma, chamando-as pelo nome. A ovelha é um animal que conhece somente a voz de seu pastor. Da mesma forma, a ovelha que ouve seu pastor está sendo guiada para um bom alimento espiritual. Assim, o pastor guia as suas ovelhas a um bom pasto. Ele terá sempre uma boa palavra, uma saudável palavra para a vida espiritual da ovelha.

Pr. Almir de Oliveira
Pastor da Primeira Igreja Batista em Cruzeiro do Oeste/PR
Extraído do OJB

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.