Um pastor amoroso e gracioso

0

“Aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro abre-lhe a porta, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e as leva para fora. Depois de conduzir para fora todas as suas ovelhas, vai adiante delas, e estas o seguem, porque conhecem a sua voz.”  (João 10.2-4)

A forma como Deus se relaciona conosco é sempre muito ética, honesta e, por causa do amor que nos tem e que nos é incompreensível, é um relacionamento que sempre visa o nosso bem. Deus não é manipulador, Deus não pratica abuso de autoridade. Deus não cerceia a liberdade. Nas atitudes e conceitos de muitos líderes religiosos e na orientação espiritual que oferecem, não é esta a visão de Deus que é transmitida. E isso nos confunde, nos escraviza e faz de nossa experiência cristã algo que não combina com muitas afirmações de Jesus sobre como ela é. Jesus disse que estaríamos sob um jugo suave e leve, mas para muitos de nós, a fé cristã é ríspida e pesada. E isso nos faz igualmente ríspidos e pesados em nossos relacionamentos.

Jesus nos explica neste texto que a ação de Deus em nossa vida – e é Ele a expressão dessa aproximação e a movimentação de Deus – é intensamente relacional e construída na dinâmica do caminho, da submissão voluntária, do ouvir e seguir. Deus sabe quem somos, conhece nossa vida como jamais a conheceremos. Uma ovelha não sabe tanto sobre si como o sabe o pastor. Mas em nossa relação com Deus há mais que conhecimento. Podemos nos deixar guiar porque somos amados. Deus nos atribui valor e nos respeita. Ele não age em nossa vida pela via do poder – manda quem pode, obedece quem tem juízo! – mas pela via do amor. Como diz o antigo hino, “manso e suave Jesus está chamando”. Os Seus porquês a nosso respeito são sempre confiáveis. E isso nos dá paz.

Aqui Jesus evoca uma outra imagem: “o porteiro abre-lhe a porta”. Ele poderia apenas entrar, mas dialoga com nossa escolha. Ele está sempre convidando. Não age como um invasor ou um dominador. A figura é de um cuidador, de um pastor. Ele nos faz ouvir Sua voz, nos chama para segui-lo, tirando-nos do aprisco, pois a vida exige mais que um lugar seguro para as noites. Nosso Pastor tem algo mais a nos ofertar. Ele não nos manda ir. Ele vai à nossa frente, pois há momentos em que o caminho é tão estreito que a sensação é que talvez tenhamos errado a direção. Mas olhamos e lá está o Pastor à nossa frente. É no caminho que aprendemos a ouvir a Sua voz e cada vez mais ela fica inconfundível. É assim que Jesus disse que a vida de fé nele é. Andamos com Ele e essa jornada pode ser desafiadora, mas Sua presença conosco será sempre amorosa e protetora.

ucs

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda