A sabedoria sobrepuja o conhecimento

0

Todas as pessoas sábias possuem algum tipo de conhecimento, mas nem todos aqueles que possuem conhecimento podem ser consideradas sábias. O conhecimento deve ser buscado incansavelmente; ele traz progresso e facilita muito a vida daqueles que o buscam, pois lhes proporcionará à oportunidade de terem suas necessidade supridas e, consequentemente, poderem aproveitar melhor tudo aquilo que uma sociedade capitalista pode oferecer. O conhecimento sempre virá de alguma doutrina, pensamento, filosofia, etc., já existente.

Já a sabedoria é capaz de levar o homem além das fronteiras do capitalismo; ela transcende o mundo físico e todas as limitações científicas e sociológicas; é capaz de proporcionar qualidade de vida, na sua essência, que independe de bens conquistados e de altas contas bancárias, pois existem outros parâmetros a serem levados em conta como saúde física, mental, emocional e espiritual; ela é capaz de marcar para sempre o nome de pessoas na história, precursores de um conhecimento nunca alcançado até então e que poderá trazer incontáveis benefícios às gerações vindouras.

Tiago afirma que aquele que necessita de mais sabedoria, deve pedir a Deus (Tg 1.5). Segundo Tiago, aquele que se considera sábio deve abominar qualquer tipo de sentimento ambicioso e egoísta, bem como a inveja. Sentimentos e atitudes propícios de pessoas inseguras, presunçosas, arrogantes e facciosas, que causam toda a sorte de males. A esta sabedoria, ele chama de terrena e diabólica, portanto falsa (Tg 3.14-15).

A verdadeira sabedoria traz consigo algumas características que lhe são peculiares. Aqueles que a alcançam serão dotados de um coração puro; tudo o que fazem será visando o bem comum, ou seja, se alegram demasiadamente com a felicidade e o bem estar de outrem; serão propagadores incansáveis da paz; se desviarão dos extremos, pois reconhecem que a solução brotará sempre de decisões e comportamentos equilibrados; serão pessoas sempre tratáveis, isto é, estarão sempre prontos a ouvir conselhos; estarão sempre abertos a mudanças; jamais desprezarão a repreensão, conselho ou crítica, pois entendem que isto tudo contribuirá para o seu amadurecimento; reconhece que é falho e imperfeito, por isto, sempre usará de misericórdia com as pessoas que o cercam. Ele não apenas fala, ele demonstra e faz; ao invés de julgar, procura ajudar; ele não apenas aponta o caminho, mas vai à frente indicando a direção correta a ser seguida. Ele nunca faz nada esperando reconhecimento e jamais se auto-intitula, não obstante, será sempre reconhecido pelos excelentes frutos que apresentará (Tg 3.17).

Além de tudo isto, o verdadeiro sábio dará crédito a Bíblia e procurará fazer tudo de acordo com os seus ensinamentos, pois ela tem poder para salvá-lo através da confissão de fé em nosso senhor Jesus Cristo (Tg 1.21; 1Co 1.21; 1Tm 1.15; 2Tm 3.15).

Por Juvenal Oliveira

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda