Filhos de Deus

0

“Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus” (João 1.11-12)

Ninguém foi tão mal recebido por alguém na vida, quanto Jesus, o Filho de Deus, foi por nós, pecadores. O Evangelho de João, antes de dizer que Ele foi mal recebido, diz que tudo que existe foi criado por Ele e para Ele e, sem Ele, nada do que foi feito teria sido feito (Jo 1.3). Portanto ele estava, de fato, voltando para o que era seu! Mas a nação por meio da qual veio os judeus, cujos profetas já anunciavam sua vinda séculos antes e que diziam ser Ele a esperança de Israel, não o receberam. Jesus não combinava com as ambições humanas e isso os frustrou. Ele era mesmo estranho aos olhos daqueles a quem veio redimir. Um Messias simples demais, servo demais, amigo de publicanos e pecadores. Pouco interessado nas regras da religião judaica e mais interessado na vida, nas pessoas. “Ele certamente não tem nada a ver com Deus!”, pensavam. Mas esta ali o Filho de Deus – o Deus feito gente!

Os judeus creram mais em si mesmos, nas próprias tradições religiosas em lugar de crer no Messias. Jesus era exatamente como os profetas disseram que seria (Is 53), mas eles não conseguiam enxergar isso e assim o desconheceram. Como pessoas obtusas, com venda nos olhos, endureceram seus corações. Mas não todos! Houve os que o receberam que creram nele. Estes receberam o direito de se tornarem filhos de Deus! Costumamos dizer que “Deus é pai”. E é mesmo. Mas com isso concluímos que todos somos filhos de Deus! Bem, em certo sentido somos. Entre nós, é a atitude dos pais que produzem filhos órfãos de pais vivos, como costumamos dizer. Mas, entre nós e Deus, o problema não está no Pai, mas nos filhos que abandonaram a vida de filhos. Deus não nos abandonou, mas nós o abandonamos! Abandonamos Sua paternidade. Queremos seus favores, mas não um relacionamento verdadeiro com Ele! Como o pródigo, queremos a herança, mas não a casa e os princípios de vida do pai!

E assim deixamos de ser filhos embora tenhamos sido criados para viver como filhos de Deus. Mas o Filho veio nos reconciliar com o Pai. Pela fé em Cristo recebemos o direito perdido de viver como filhos de Deus. Somente os filhos de Deus conhecem de fato o amor de Deus. São envolvidos pelos propósitos de Deus e são influenciados por Deus. A misericórdia e a bondade de Deus estão sobre todos, mas a comunhão com Deus é uma benção concedida apenas aos filhos. A boa notícia é que a porta da casa do Pai ainda está aberta e Ele, de braços abertos. Ser filho de Deus é uma dádiva que apenas o Filho de Deus pode conceder. É pela graça. Por isso, todos podem. Não podemos melhorar o bastante para termos o direito de viver como filhos de Deus. Mas pela fé, recebemos o diretor de viver como filhos Deus, e isso nos melhora tanto que somos feitos novas pessoas!

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda