Onde está o problema?

0

“O que entra pela boca não torna o homem ‘impuro’; mas o que sai de sua boca, isto o torna ‘impuro’.” (Mateus 15.11)

Este ano vamos errar. Isso é certo, pois somos falhos. Porém, não devemos considerar que está tudo bem com nossos erros, que não há problema algum. O mundo está cheio de dores, necessidades e crises geradas por nossas falhas. Ferimos pessoas e causamos prejuízos por causa de nossas falhas. Devemos ser cuidadosos para não falharmos. Somos falhos, mas não devemos ser irresponsáveis. Devemos, diante de nossas falhas, examinar nosso coração, pois o problema pode estar dentro de nós. Jesus disse que é de dentro que vêm os erros, falhas e problemas. Nosso coração é nosso modo de ver a vida, o conjunto de valores e princípios que (verdadeiramente) nos orientam e não os que achamos bonitos ou teoricamente concordamos.

Esteja vigilante sobre o seu próprio coração este ano. Peça frequentemente ao Espírito Santo que o sonde e revele a você o que Ele está vendo. Nem sempre enxergamos a verdade que nos habita. Sempre precisaremos nos conhecer melhor, discernir o sentido de nossas ações. Este é um princípio fundamental para uma vida saudável e agradável a Deus. Ao falhar no modo de agir, falar ou reagir procure perceber se sua atitude foi apenas uma casualidade, uma falta de equilíbrio momentâneo, ou se foi a manifestação de algo que há dentro de você, de algo mais permanente e profundo. Normalmente há três males que adoecem nosso coração e promovem atitudes erradas: a sensualidade sem moral, a ambição sem limite e o amor próprio que virou presunção. Estes três males nos desequilibram e falhamos em nosso relacionamento com pessoas e com Deus.

Eles alimentam nossa falta de submissão Deus e de amor ao próximo. Não são os únicos, mas são como raízes de onde brotam diversos outros males. A sensualidade tem a ver com desejos sexuais que são naturais, mas podem sair do controle e produzirem outros, não tão naturais ou saudáveis; a ambição tem a ver com desejos de crescimento, algo bom, mas que podem nos levar ao materialismo e a avareza comprometendo nossa ética; o amor próprio é muito valioso, mas pode corromper-se tornando-se pura presunção e gerando desejos egoístas. Cuide bem do seu coração apresentando-o diariamente a Deus e tendo amigos e amigas verdadeiras, que possam criticar você e orar com você. Cuide de seu coração porque dele procedem às saídas da vida! (Pv 4.23). Fazendo isso, esse ano será melhor que o passado. Feliz 2018!

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda