Missionário que ‘contrabandeava’ Bíblias para Cuba é homenageado por Pastor

0

Siegfried Zilz é um homem de muitas e grandes histórias. O pastor, que hoje mora em Porto Alegre é um verdadeiro exemplo de servitude e amor pela obra de Deus. “Heróis são de carne e osso, eu posso provar para vocês. Hoje estive visitando um”, publicou o pastor Jackson Jacques sobre o homem.

“Siegfried Zilz é o nome desse herói. Ele é um gigante de Deus. Serviu por muitos anos a Igreja mundial. Contrabandeou Bíblias para Cuba, levou remédios, trabalhou junto com a Liga Evangélica em Cuba, serviu a Igreja da África, trabalhou na Portas Abertas, e no Palavra da Vida em Atibaia, sendo vizinho e companheiro de Russell Shedd”, detalhou.

Tudo começou em maio de 1957 quando surgiu a primeira equipe de seu ministério, o “A Fim de Proclamar”. O encontro com irmãos da Igreja que sofre por amor ao Evangelho de Jesus Cristo impactou profundamente esta equipe. Uma contribuição forte foi quando Siegfried, que era tradutor (alemão/português), relatou a vivência de um pastor e sua esposa, na prisão da Rússia, no tempo do comunismo da União Soviética, em várias cidades do Brasil.

Segundo o site oficial do ministério, foi exatamente esse relato que fez com que o grupo aumentasse. “A fidelidade, o sofrimento destes irmãos e a necessidade de socorrê-los gerou a necessidade de ampliar esta equipe.  Em 1981, Siegfried e uma nova equipe sob orientação da Missão Internacional Portas Abertas, embarcam para Moçambique, Rússia e Sibéria, levando Bíblias, doações e alento aos irmãos sob perseguição do governo comunista nestes países”, ressalta.

Em 1984, Cuba já estava sobre um forte regime comunista. Siegfried, orientando uma equipe de apoio, lutou para socorrer a Igreja no país. Mas não foram apenas viagens de ajuda. Em uma forte aliança com as igrejas locais, de diferentes denominações, ele levou muitas equipes para ajudar com malas cheias de “tudo um pouco” em especial de Bíblias. Os membros das equipes missionárias voltavam para o Brasil com os corações transbordando de gratidão.

Na África

O trabalho de Siegfried continua, mas agora na África. Ele e sua equipe invadiram as matas de Guiné Bissau e Guiné. Com a construção destas pontes das igrejas do Brasil, Cuba e África, fez-se necessário documentos, registros e formalidades como uma Missão. Assim, no dia 27 de dezembro de 2001 foi registrada oficialmente a “Missão A Fim de Proclamar”, com sede em Porto Alegre, sob a direção de Siegfried Zilz e uma diretoria interdenominacional, da Igreja brasileira.

Em 2012 ouviu-se o clamor da igreja nas montanhas da Colômbia e hoje a Missão está apoiando esta igreja que vive e sofre por estar na região das guerrilhas.

“Seu legado é vasto, imenso e transpõe barreiras culturais e temporais”, ressalta o pastor Jackson da Igreja Vintage360. “Eu conheço os feitos do Senhor Jesus por meio desse campeão há mais de 10 anos. Tive a honra de levá-lo para pregar para os adolescentes que eu liderava anos atrás. Todos choraram muito e fizeram fila pedindo oração e confessando seus pecados. Aprouve a Divina Providência que sua família viesse congregar na Vintage, Igreja que pastoreio e hoje pela graça de Deus tive um tempo com esse homem que admiro”, colocou.

“Conversamos, ouvi muitas histórias, cantamos, o ouvi tocar gaita de boca, fui extremamente encorajado ao ver seu legado. Lindo ver seu casamento forte depois de mais de 61 anos de casados com a mesma mulher. Tive a imensa honra de ter esse gigante orando por mim. Saí de sua casa impactado pela presença do Espírito Santo. Esse é um dos quais Hebreus diz que o mundo não é digno”, salientou o pastor.

Com informações do Guiame

SEM COMENTÁRIOS

Responda