Mainha!

0

Mãe, mamãe, 12, mãezinha, mamy, mama, madrecita, mamitha, madre, meré, mamãezinha e etc…

Chamo atenção para você, que como eu, sou MÃE, como te chamam não sei, mais é tão gostoso!

Que não deixemos nossos filhos crescerem carentes, sejamos mais presentes, vamos dar atenção, olhar em seus olhos, conversar, dar carinho (abraços, beijos, cheiros), ria com eles, uns dos outros, façam atividades juntos, ao lembrar deles na rua, no trabalho, leve algo pra eles, não precisa ser uma data especial, ensine-os com seu exemplo, esteja presente na hora do choro, perceba que eles precisam desabafar, olhe o coração e seja a pessoa nesses momentos, conforte-o – mas diga-lhe sempre a verdade em amor, conduza-o a falar aquilo que está contribuindo para o seu sofrimento – se isolando, saindo quando algum familiar chega ou amigos, fugindo dos passeios em família, preferindo outras companhias, aprendendo valores errados com os “outros” – mesmo que seja alguma coisa com um dos familiares, promova o perdão, Deus dá sabedoria a quem pede e isso dá uma liga, uma diferença tremenda na família e constrói confiança.

Acima de tudo o que eles venham a fazer, seja certo ou errado, estejam com eles, mas que saibam que você não é conivente com as escolhas deles, se forem escolhas erradas. Fique sempre do lado deles, não seja omissa, nem negligente, quando perceber, souber, ver que estão fazendo o que não devem com eles, pelo menos tente. Peça ajuda a alguém, mas não permita a continuação de padrões destrutivos na vida deles. Isso é ser MÃE!

Ame-o incondicionalmente, sabe de uma coisa? Estou aprendendo agora, os jovens, já podem fazer suas escolhas e nós temos que respeitar e ensiná-los que colheram o que plantarem, não nos preocupar com eles – isso é não ser mãe, mais deixá-los seguir seus caminhos, suportar as piores distâncias físicas e emocionais; o importante é o que está no coração e em nossas orações.

Fora isso, especialmente, pense que vai ter – por obrigação – uma cabecinha para moldar, um espírito para entender e incutir a necessidade de um caráter firme, e voltado para DEUS. Isso, além de caro, muito caro, dá trabalho e nem sempre tanto prazer. Todos os dias são Dia das Mães. Sejam elas biológicas ou adotivas; sejam elas solteiras ou casadas. E mais: tenham filhos ou não.

Por: Carla Barbosa 

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda