Falta de perseverança

0

“As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Crêem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação.” (Lucas 8.13)

Este é o segundo terreno descrito por Jesus em sua Parábola do Semeador. Espero que não sejamos um terreno assim, mas se formos, que pela graça de Deus possamos escolher mudanças imediatamente. No primeiro satanás é o grande protagonista da perda das sementes da palavra de Deus. Não exclusivamente, pois ele só tem sucesso no que faz porque damos lugar, damos espaço para que possa agir. Neste, que é o segundo, certamente que o diabo atua, mas os grandes protagonistas somos nós mesmos, pela falta de perseverança. Jesus está falando de pessoas que começam bem, mas não terminam bem. Que são boas em iniciar, mas fracas em levar adiante. Costumam deixar as cosias pelo meio do caminho. Desistem, abandonam.

Nossa sociedade tem marcas que alimentam essa característica ruim em nós. O imediatismo nos atrai a isso, bem como a intolerância ao esforço, à dor, nos impedem de desenvolver perseverança. Gostamos de coisas fáceis e que exijam pouco. Se não for assim como crianças minadas, como pessoas medrosas, desistimos. A intensidade é seguida ela brevidade. Um grande entusiasmo inicial e depois uma persistência que não dura mais que meio palmo. Recebem a palavra e reconhecem que é fonte de vida, pois a recebem com alegria quando a ouvem. Mas são terrenos que não possibilitam o desenvolvimento de raízes firmes e fortes. Por algum tempo tudo vai bem, mas logo desistem. Quando somos assim, somos vitimas de nós mesmos, somos nossa maior fraqueza. Provações vêm em forma de dúvidas, de algum acontecimento indesejado, de alguma ferida que nos causam, de tristezas, perdas ou qualquer outra coisa que nos faça sofrer. E é preciso raiz para suportar.

Jesus disse: “Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Mt 24.13). Disse também: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (Jo 16.33) O Evangelho programa o amor e graça de Deus, mas isso não significa que não peça de nós algo! A vida com Deus não é um mar de rosas, mas a vida sem Deus também não. Porém, a vida com Ele é verdadeira, é eterna. Talvez sejam raízes o que tem faltado a você, perseverança, firmeza de propósitos. Pare de abrir mão e voltar atrás. Ninguém nasce persistente, aprende-se a ser persistente. Aprenda a persistir no bem, na fé, na entrega a Deus. A maturidade espiritual não vem sem essa perseverança. No que depender de Deus, você vai perseverar. Faça a sua parte!

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda