A maior ação de resgate da história

0

Recentemente o mundo inteiro parou para acompanhar a tentativa de resgate de doze meninos e o seu técnico de uma caverna na Tailândia. Especialistas no assunto chegaram a admitir que retirar aquelas pessoas dali com vida seria praticamente um milagre. As condições eram extremamente desfavoráveis e exigiria muito esforço, perseverança, amor, técnica e, acima de tudo, fé para conseguirem vencer todos aqueles obstáculos. Quanta apreensão a cada dia que se passava!!! Fome, frio, escassez de oxigênio, medo e escuridão do lado de dentro da caverna e do lado de fora, muitas estratégias, junção de especialistas de vários países, orações, lágrimas e muita expectativa. Mas, graças a Deus, depois de dezessete dias de terror, todos foram salvos e o mundo todo festejou como se cada um daqueles meninos fizesse parte de nossas próprias famílias.

Apesar de todo o sucesso obtido pela equipe de resgate onde todos foram retirados com vida, infelizmente, houve um preço a ser pago. Um dos mergulhadores que fazia parte da equipe de busca não retornou para casa. Uma vida se perdeu. Alguém teve que se doar.

Este episódio ficará marcado na história como sendo uma das maiores mobilizações de salvamento e resgate, principalmente, pela repercussão que obteve de toda a grande mídia mundial. Gostaria de fazer um paralelo neste momento tão oportuno sobre outra operação de resgate que deve ser considerada a maior de toda a história da raça humana.

Assim como aqueles treze homens, toda a humanidade estava aprisionada, não por uma simples caverna, mas, pelo poder avassalador do pecado; sentenciada a morte como consequência deste pecado. A lei foi instituída para por ordem nas coisas, não obstante, ninguém era capaz de cumpri-la na sua totalidade e não havia mais nada que pudesse ser feito, tendo em vista que ao homem fora dado à liberdade de realizar as suas próprias escolhas; e ele optou por continuar pecando (Rm 6.23; Rm 5.17-21).

O amor de Deus é tão grande pela sua obra prima, o homem, que ele resolveu criar um brilhante plano de resgate. Ele mandaria aquele que tinha o preparo suficiente, capaz de vencer todas as barreiras; capaz de suportar as maiores humilhações e escárnios; capaz de se colocar em nosso lugar, recebendo toda a nossa sentença; capaz de cumprir integralmente toda a lei, satisfazendo todas as exigências necessárias para a nossa absolvição; capaz de dar a sua própria vida se preciso fosse (Jo 3.16; Rm 10.4; 2Co 5.15).

A vida de um mergulhador foi o preço a ser pago pelas vidas daqueles meninos, assim como o preço a ser pago pelo resgate de toda a humanidade, foi a crucificação do Filho de Deus. Ele nos libertou não apenas de uma caverna ou da morte física, mas, da segunda morte, a espiritual. Ele quitou a nossa dívida e nos reconciliou com o Pai. Retirou-nos da escuridão da caverna, que simboliza o inferno.

Por isto que o apóstolo Paulo escrevendo aos Colossenses disse que Ele nos libertou das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor; em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos nossos pecados (Cl1. 13-14). Aleluia!! Cristo nos resgatou.

Por Juvenal Oliveira Netto

ARTIGOS SIMILARES

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda