Necessitamos uns dos outros

0

“Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável.” (Salmos 51.10)

Provérbios diz que “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.” (Pv 27.17). Devemos estar avisados de que, se orarmos a Deus pedindo que crie em nós um coração melhor devemos prestar atenção nas pessoas e valoriza-las. Pois é bem provável que Ele nos envie especialmente algumas. Pessoas são importantes, eu diria, fundamentais, no que Deus se propõe a fazer em nossa vida. Por conseguinte, nós também somos importantes, fundamentais, no que Deus se propõe a fazer na vida das pessoas. Nossa fé se realiza não somente no relacionamento com Deus, mas também no relacionamento com as pessoas. Ao crer em Cristo passamos a formar, juntos, com nossa diversidade, o Corpo de Cristo (Rm 12.4-5). O sentido de nossa devoção pessoal, quando separada e isoladamente nos apresentamos a Deus, está justamente no modo como agimos quando reencontramos as pessoas.

Preferia que não fosse assim, mas algumas vezes (espero que não muitas), precisarei exercitar meu coração lidando com pessoas cujas atitudes eu não gosto. Pessoas que me magoam ou me causam desagaste. Isto também é parto do processo que muda para melhor os nossos corações. E com você não será diferente. Também precisaremos de amigos verdadeiros, capazes de serem firmes conosco, denunciando nossas falhas e atitudes impróprias. Denunciando, não a outros, pois aí não estariam agindo como amigos, mas a nós mesmos. Falando-nos o que não gostamos de ouvir! Olhando em nossos olhos, como fez o profeta Natã com seu amigo Davi, e dizendo: “você pecou”. O fato é que precisamos de pessoas que se importem conosco e aceitem o desgaste de nos enfrentar. E precisamos estar abertos a isso. Dessa e de tantas outras formas é que o processo de formação de quem devemos ser aos olhos de Deus se realizará em nossas vidas.

À vista de tudo isso devemos também nos dedicar ao papel que nos cabe como amigos de nossos amigos, como irmãos de nossos irmãos e irmãs. Devemos evitar ser um peso, um problema para eles, ao contrário, devemos ser uma benção e amar o bastante para nos colocar ao lado. Quando necessário devemos, com muito amor, falar a verdade que precisarem ouvir. Não precisamos e nem devemos sair falando o que nos vier à cabeça, fazendo críticas apressadas às pessoas. Se quisermos confrontar alguém, antes devemos conhece e amar. Até que seja assim, devemos apenas orar. Também, quando necessário, devemos ouvir com paciência e estarmos prontos a consolar. Devemos ser uma dádiva para quem pudermos ser. O fato é que somos importantes na vida uns dos outros. Que Deus use pessoas em nossa vida e nós em suas vidas. Este também é um caminho para um coração e um espírito melhores!

ARTIGOS SIMILARES

0

0

SEM COMENTÁRIOS

Responda