Não busque outro evangelho

0
17

É com grande tristeza que contemplo as pessoas de hoje fazendo o mesmo que os cristãos da Galácia estavam fazendo, nos tempos de Paulo. Muitas ainda continuam correndo atrás de um “outro evangelho”. Isso não pode continuar.

Em Gálatas 2.6, Paulo fala de seu sentimento: “Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho” (Gálatas 1:6). Ele estava maravilhado com o retrocesso dos gálatas, que haviam deixado a “graça de Cristo”. Mas o que é isso? É a salvação que recebemos, sem que precisemos contribuir com ela. Somos salvos pela graça (um favor de Deus que não merecemos), e não por fazer algo: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8,9). Nada que façamos poderá contribuir para alcançarmos a salvação, pois somos salvos “pela graça”.

O outro evangelho dito por Paulo, na verdade, não existe, pois há só um evangelho, mas ele se expressa dessa forma, para falar da mensagem que estava sendo ensinada pelos que estavam inquietando os cristãos e querendo transtornar o evangelho de Cristo: “O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo” (Gálatas 1:7). Ou seja, alguns estavam tentando confundir os gálatas, dizendo que eles precisavam cumprir a lei ritual do Antigo Testamento, mas o evangelho não ensina isso: “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada” (Gálatas 2:16); “Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde” (Gálatas 2:19-21); “E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé” (Gálatas 3:11); “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus” (Gálatas 3:24-26)…

É muito importante atentar para a firmeza do apóstolo Paulo que chama de “maldito” (Gl 1.8) a todo aquele que quiser ensinar um “outro evangelho”. A Palavra de Deus não é brincadeira, mas é a verdade da qual o mundo necessita e não percebe. Sendo assim, o Diabo tem usado homens para trazerem um ensino distorcido que tem levado muitos à perdição, e como o apóstolo Paulo, temos que falar disso a todos que ainda não se renderam aos pés de Cristo, porque todos nos tornamos filhos de Deus por meio de nossa fé nele.

Se o problema dos gálatas era em relação ao ritualismo do Antigo Testamento, o problema de hoje é sobre uma galera que quer ensinar a “salvação pelas obras”, um ensino totalmente equivocado, de acordo com os versículos citados acima. Aquela famosa ideia de que o cristão não pode isso, não pode aquilo, pois, se agir assim, irá para o Inferno é totalmente antibíblica. Aquela outra ideia de que tem que fazer isso ou aquilo para ser salvo também não tem nenhuma base bíblica, pois a bíblia diz que somos salvos “pela graça, por meio da fé” – os textos foram citados acima.

Uma coisa que as pessoas precisam entender é que não pregamos um evangelho inventado por nós, mas um evangelho que é a “revelação de Jesus Cristo”: “Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo” (Gálatas 1:12). Há líderes inventando um “outro evangelho” por aí, sendo seguidos por pessoas ignorantes – espiritualmente falando, e quem ainda não caiu nessa armadilha deve continuar falando do evangelho de Jesus.

Encerrando o assunto, não posso deixar de falar dos versículos 13 e 14: “Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava. E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais” (Gálatas 1:13,14 ). O apóstolo Paulo fala de seu passado, como perseguidor da igreja de Jesus, e de que era seguidor das “tradições de meus pais”. Tenho que falar sobre isso. Paulo, que um dia fora perseguidor da igreja, agora defende a igreja com unhas e dentes; Paulo, que um dia fora seguidor das “tradições dos pais”, agora segue a Cristo e dedica-se a Ele. Não tem essa de que não posso mudar de “religião”, não tem essa de que tenho que seguir a “religião de meus pais”; tenho que seguir a Cristo, amá-lo e honrá-lo com minha vida. Se meus pais seguirem o erro, seguirão sozinhos, pois meu maior compromisso é com Cristo.

Depois de tudo que foi dito, tenho apenas um conselho para você: Não busque outro evangelho, mas busque o “…evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego” (Romanos 1:16).

 

Wanderson Miranda de Almeida
Colunista deste Portal
www.wandersonmiranda.com

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.