Aprendendo com Estêvão

0
18

Tenho aprendido muito com os servos de Deus, e suas histórias, lendo a Bíblia. Compartilhando um pouco do que tenho aprendido, quero trazer lições que aprendi lendo sobre Estêvão. Vamos lá?

Em Atos, capítulos 6 e 7, lemos sobre esse servo que tem muito a nos ensinar.

No capítulo 6, vemos a escolha dos diáconos, homens que auxiliariam os 12, para que eles se aplicassem à oração e ao ministério da palavra (At 6.4).

As qualificações para a atividade de diácono deveriam ser as seguintes: “boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria” (At 6.3). E é aqui que entra Estêvão, um dos escolhidos e chamado de “homem cheio de fé e do Espírito Santo” (v. 5). Vamos começar com essas características.

Boa reputação. Estêvão tinha um bom conceito, uma boa fama. Não falavam mal dele.

Fico pensando neste tempo em que vivemos. É muito complicado ter uma boa reputação; mesmo quando a pessoa anda “na linha”, sempre tem alguém para falar algo, mas ainda encontramos pessoas cuja reputação é admirável. Estêvão era assim.

Como está a sua reputação?

Cheio do Espírito Santo. Como precisamos de pessoas cheias do Espírito Santo! Pessoas repletas da presença de Deus e usadas por Ele. Pessoas diferenciadas, pois quem tem Deus sempre é diferente. Pessoas que manifestem o bom perfume de Cristo através da própria vida.

Você é cheio do Espírito Santo?

Cheio de sabedoria. Aprendemos que o “temor do Senhor é o princípio da sabedoria”. Estêvão vivia isso. No versículo 10 diz que “não podiam resistir à sabedoria, e ao espírito com que falava”. Que homem era esse? Era um homem dominado pelo Senhor, pelo Espírito Santo. Um homem que não brincava de ser crente, mas era cristão verdadeiro, temente e que manifestava isso por onde passava.

Você tem recebido a sabedoria do Senhor?

Cheio de fé e de poder. Não podia ser diferente. Estêvão tinha muita fé, mas não era fé em qualquer coisa, como muitos têm hoje. Tem gente que acha que o importante é crer, não importando em que se crê, mas não é assim.  Estêvão tinha fé em Deus, era dominado pelo poder do Senhor, “fazia prodígios e grandes sinais entre o povo” (v. 8), transmitia aos outros o “bem” que possuía.

A fé faz a diferença. Se você parar para analisar os grandes feitos dos homens e mulheres da bíblia, vai descobrir que eles venceram pela fé. Se não acredita, dê uma olhada em Hebreus 11 e veja, com seus olhos, o que pode fazer uma pessoa quando deposita sua fé no Deus do impossível. Que tal exercitarmos nossa fé?

Conhecimento bíblico. Eu sei que ele não tinha a bíblia, assim como temos hoje, mas ele conhecia muito bem toda a narrativa bíblica até aquele momento no qual vivia. Se você quiser dar uma conferida, leia Atos capítulo 7 e verá com que precisão Estêvão falou de tudo que Deus fizera até aquele momento.

Se a ideia é aprender com ele, que tal começar a estudar a bíblia para ter o conhecimento que ele tinha? É vergonhoso o conhecimento quase zero que alguns “cristãos” têm da Palavra!

Coragem. Se já leu o capítulo 7 de Atos, deve ter percebido que Estêvão, em nenhum momento, ficou preocupado com o que fariam com ele, mas falou ousadamente, mostrando àqueles homens a sua falsa devoção.

Da mesma forma, nós, cristãos, não podemos nos calar diante do erro e do pecado. Cheios do Espírito Santo, devemos falar de Deus e da Sua Palavra.

Você tem tido coragem para anunciar evangelho?

Coração perdoador. É extremamente importante falar sobre isso, já que muita gente insiste em dizer que Jesus perdoou aos seus agressores porque Ele era (é) Deus, mas Estêvão nos mostra que o ser humano pode fazer isso também.

Preste atenção no texto: “Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele. E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: ‘Senhor Jesus, recebe o meu espírito’. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: ‘Senhor, não lhes imputes este pecado’. E, tendo dito isto, adormeceu” (Atos 7:57-60).

Partiram para cima dele, apedrejaram-no e o que ele fez? Orou por eles. Sinceramente, dá até vergonha de pensar em quantas vezes desejamos mal ao próximo por coisas muito menores. Nem vou citar nada aqui. Talvez você possa dizer que “é muito difícil”, e eu concordarei com você, mas é possível, e eu quero ser assim. Não quero viver conforme a carne, mas conforme o Espírito Santo. Humanamente falando é muito complicado, mas, deixando Deus viver através de nós, poderemos chegar a esse nível de espiritualidade. Também quero orar por quem estiver me “apedrejando”.

Estêvão é um bom exemplo de um homem cuja fé devemos imitar. Que esse desejo esteja em nosso coração a cada dia de nossa vida.

Wanderson Miranda de Almeida
Escritor e Colunista deste Portal
www.wandersonmiranda.com

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.