Câncer de Próstata: como descobrir e tratar este mal

0
122

•Com que freqüências estão acontecendo estas cirurgias de tumor de próstata?
•E o que mudou então?
•Quais os exames realizados para diagnosticar um problema?
•Quando há indicação de cirurgia?
•Quais os índices de cura que a cirurgia oferece?
•Quais cuidados devem ser tomados após uma cirurgia de próstata?
•Podem ocorrer complicações após uma cirurgia dessas?
•Quanto tempo demora esta cirurgia e em quanto tempo acontece o restabelecimento do paciente?
•Se após a cirurgia percebe-se que ainda há risco ao paciente, existe mais algo a ser feito?
•Quais as causas do câncer de próstata?
•Há prevenção?
•A partir de que idade os homens devem pensar em exames de prevenção?
•Os homens ainda são preconceituosos e resistentes ao exame de toque?
•Este tipo de câncer se alastra rapidamente?
•Quais os sintomas de que algo está errado?
•Quanto custa uma cirurgia destas?
•O que mais é importante acrescentar sobre o assunto?

Os problemas de próstata começaram a ser mais divulgados. Depois de casos de gente famosa como Castrinho e, mais recentemente, Clodovil Hernandes, muitos homens começaram a buscar informações e consultas médicas para uma série de exames que podem prevenir o deslanchar da doença.

Em uma entrevista com o Dr. Flávio Trigo (Professor Livre Docente de Urologia da Faculdade de Medicina da USP), para saber quais os exames, o tipo de cirurgia, cuidados pós-operatórios, entre outros assuntos relacionados à cirurgia de câncer de próstata, surgiram as seguintes perguntas:
Com que freqüências estão acontecendo estas cirurgias de tumor de próstata?

Dr. Flávio Trigo – Não saberia dizer quantos casos acontecem atualmente. Uma parcela significativa dos homens precisará de cirurgia de próstata ao longo vida. Não digo isto para amedrontar as pessoas, mas para um esclarecimento. Os homens terão este índice, tanto por problemas benignos na próstata, quanto por conta de um câncer. O que acontece é que as pessoas estão vivendo mais. Lugares como no Japão, onde 2 a 5% das pessoas terão mais de 90 anos em 2010, são um bom exemplo disso. Sendo assim, a possibilidade do número de problemas de próstata tende a aumentar, pois o câncer é mais freqüente conforme o homem vai ficando mais velho.

E o que mudou então?

Dr. Flávio – O que mudou muito é a fase em que o problema é diagnosticado. Antigamente só se descobria quando a doença estava bem avançada, mas hoje temos meios de descobrir o mal mais cedo. Numa fase em que a doença é curável por meio de cirurgia ou radioterapia.

Quais os exames realizados para diagnosticar um problema?

Dr. Flávio – O mais antigo é o exame de toque retal, onde podemos palpar parte da próstata. Se identificarmos um nódulo ou uma área endurecida, significa que algo não está bem. Um outro exame pode ser realizado desde o final dos anos 80. É o PSA (Antígeno Prostático Específico): através de uma amostra de sangue. Quando se detecta um aumento desta substância acima de seu valor normal que é de 4,0 ng/dL existe cerca de 30% de chances do paciente ter um câncer. Portanto, pacientes com alteração do toque retal ou do PSA deverão ser encaminhados para uma biópsia guiada por ultrassom.

Quando há indicação de cirurgia?

Dr. Flávio – Quando o câncer é diagnosticado numa fase precoce, em que ele se encontra confinado à próstata, existem duas formas tratamento: radioterapia ou cirurgia, sendo que a segunda opção tem um resultado melhor. Mas vale ressaltar que a cirurgia só é realizada em pessoas que estejam em condições condições de saúde favoráveis.

Quais os índices de cura que a cirurgia oferece?

Dr. Flávio – A cirurgia oferece cerca de 80 a 90% de cura, principalmente em casos descobertos logo no início.

Quais cuidados devem ser tomados após uma cirurgia de próstata?

Dr. Flávio – Inicialmente são cuidados que se tomam em qualquer tipo de cirurgia, ou seja, não fazer nenhum esforço físico, se alimentar corretamente, repousar. Também deve se ter em mente que deve continuar fazendo um controle pós-cirúrgico.

Podem ocorrer complicações após uma cirurgia dessas?

Dr. Flávio – Existem 2 complicações consideradas principais: uma delas é a incontinência urinaria, que apesar de ser mais rara, pode acontecer em 6 a 8% dos operados. A outra, e mais freqüente, é a impotência sexual que acontece em pelo menos metade dos casos de quem passa por cirurgia.

Ambas são tratáveis. No caso da incontinência, trata-se com exercícios, outras vezes medicamentos ou, após um ano, cirurgia de correção. Já a impotência, começa-se com medicamentos já a venda nas farmácias, ou injeções de medicamentos, diretamente no pênis e, em casos extremos, coloca-se uma prótese peniana.

Quanto tempo demora esta cirurgia e em quanto tempo acontece o restabelecimento do paciente?

Dr. Flávio – A intervenção cirúrgica pode demorar cerca de 2 horas. O paciente precisa de cerca de 3 dias de internação. É uma cirurgia de porte médio, mas que hoje está muito bem padronizada e segura. O indivíduo pode retornar ao trabalho após 15 a 20 dias após a intervenção.

Se após a cirurgia percebe-se que ainda há risco ao paciente, existe mais algo a ser feito?

Dr. Flávio – Sim. Daí opta-se por um tratamento adicional como a quimioterapia, radioterapia ou então com hormônios. Nos casos de escape de cirurgia, ou seja, aquelas pessoas que ficaram entre 10 ou 15% dos que não se curaram, complementa-se o tratamento com manipulação hormonal ou radioterapia.

Quais as causas do câncer de próstata?

Dr. Flávio – Ainda não se sabe direito o que causa câncer de próstata. Alguns fatores favorecem o aparecimento, como por exemplo uma dieta rica em gordura. Determinadas vitaminas podem ajudar a proteger como a vitamina D e o licopeno encontrado no tomate. Mas isso são, na verdade, estudos.

Há prevenção?

Dr. Flávio – A prevenção ainda é precária. Houve um avanço no diagnóstico precoce que possibilita a cura da doença em um número considerável de pacientes.
A partir de que idade os homens devem pensar em exames de prevenção?

Dr. Flávio – Todo homem acima de 50 anos deve fazer os exames de diagnóstico. Já os que têm parentes diretos, como tio, avô, que passaram pela doença, devem iniciar uma pesquisa aos 40 anos.

Os homens ainda são preconceituosos e resistentes ao exame de toque?

Dr. Flávio – Sim. Os pacientes só querem fazer o exame de sangue. Apesar do PSA ter sido um grande avanço, não é suficiente. Precisa fazer o exame de toque. Ambos são complementares. O que tem melhorado muito é o fato das mulheres cobrarem essa prevenção, pois se elas cuidam melhor de sua saúde, e para isto muitas vezes realizam exames desconfortáveis. Por que os maridos não fazem o mesmo? Eles não se negam, mas muitos deixam de ir ao médico a partir dos 50 anos por puro preconceito, por achar que isso pode ferir sua masculinidade. Isso é ruim porque lidamos com uma doença que pode matar.
Este tipo de câncer se alastra rapidamente?

Dr. Flávio – Não. Geralmente é um câncer de crescimento relativamente lento, porém muito freqüente. Daí a preocupação médica.

Quais os sintomas de que algo está errado?

Dr. Flávio – Geralmente os sintomas da micção decorrem de crescimento benigno da próstata. Como sintomas podemos citar o fato do homem urinar com maior freqüência e com diminuição no jato de urina. O câncer de próstata em fase inicial não dá sintoma algum. É comum o paciente procurar o médico devido a sintomas decorrentes de aumento benígno da próstata e, durante os exames ser diagnosticado um câncer de próstata na fase inicial. Uma das dúvidas mais comuns dos homens é se o fato de ter o tamanho da próstata aumentada significa ter maior chance de ser um câncer. A resposta para esta questão é não, porém tudo deve ser levado em consideração.

Quanto custa uma cirurgia destas?

Dr. Flávio – As pessoas podem realizar esta operação através do SUS. Se for realizar a intervenção em um hospital particular, os custos dependerão do médico e do hospital em que se realiza o tratamento bem como da complexidade do caso.

O que mais é importante acrescentar sobre o assunto?
Dr. Flávio – O mais importante é deixar claro que câncer de próstata pode matar. Não se pode saber como evitar o desenvolvimento da doença, que deixou de ser mito e pode ser detectada de forma precoce, ter um tratamento de forma normal e seguir a vida tranqüilamente.

Para maiores esclarecimentos, o Dr. Flávio Trigo se coloca à disposição através do e-mail [email]mailto:flaviotrigo@uol.com.br[/email]. Há também a home page preparada por ele: [url=http://www.continencecenter.com.br]www.continencecenter.com.br[/url]

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.