Mensagem do “Dia da Bíblia 2016”

0
1097

dia-da-bibliaTema: O propósito de Deus ao nos dar as Escrituras Sagradas

O livro bíblico de Neemias é um dos relatos mais impressionantes da Bíblia. Este livro apresenta alguns dos últimos acontecimentos registrados no Antigo Testamento. Ele conta a história até mais ou menos o ano 430 antes de Cristo. O autor do livro, Neemias, conta como estava a situação de Jerusalém depois do retorno do cativeiro. O templo já havia sido reconstruído sob a liderança de Esdras. Neemias narra como foi a reconstrução dos muros da cidade. Sem muros, a cidade estava desprotegida. Era um alvo fácil. Neemias liderou o povo nesse período.

O livro de Neemias mostra que a reconstrução dos muros não era apenas uma obra de engenharia. O povo também precisava ser animado. Por isso, Neemias relata não apenas o que ocorreu na construção dos muros, mas também como o povo foi animado para ser fiel a Deus.

No capítulo 8, os muros já estavam reconstruídos. Começava um novo tempo. O primeiro grande ato desse novo tempo era colocar novamente o povo em contato com o “Livro da Lei”. O povo foi reapresentado ao “Livro da Lei” – as Escrituras Sagradas. Durante o tempo do exílio, grande parte do povo de Israel havia esquecido dos ensinamentos da lei de Deus. A presença das Escrituras na vida do povo não era significativa. A maioria das pessoas não tinha conhecimento do conteúdo da Palavra de Deus. Apresentar o povo às Escrituras e as Escrituras ao povo seria, agora, a grande tarefa dos sacerdotes.

O escriba Esdras trouxe o Livro da Lei diante do povo. O livro foi lido para o povo desde a manhã até o meio-dia. Foi um dia de grande emoção. No versículo 8, deste capítulo, diz que o livro da lei era lido e traduzido para o povo. Explicações eram dadas para que o povo entendesse o que era lido.

As três palavras-chave que aparecem nesse texto são “ler”, “traduzir” e “entender”. No Dia da Bíblia deste ano, convido você a pensar nestes três pontos. Qual é o propósito de Deus em dar as Escrituras Sagradas ao seu povo.

  1. Deus nos dá as Escrituras Sagradas para que elas sejam lidas

A primeira resposta que temos é que Deus nos dá as Escrituras para que sejam

lidas. Não há sentido em termos as Escrituras fechadas, sem ler o que está escrito. Ter a Bíblia e ler a Bíblia não é a mesma coisa.

No começo do século passado, não havia muitas Bíblias em nosso país. As Bíblias eram raras e caras. Havia duas agências estrangeiras que coordenavam a distribuição de Bíblias no Brasil. Eram a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira e a Sociedade Bíblica Americana. Mas o desafio era grande. Como fazer para que mais Bíblias chegassem ao povo brasileiro? Em 1948, essas duas agências convocaram os líderes das igrejas brasileiras e, em 10 de junho desse ano, foi fundada pelas igrejas a

Sociedade Bíblica do Brasil. Com a criação dessa organização, as igrejas queriam que mais Bíblias fossem distribuídas e que esse trabalho fosse feito em conjunto, sob a coordenação dessa organização.

No começo, a distribuição de Bíblias era de poucas dezenas de milhares de exemplares. Mas o propósito era dar a Bíblia à Pátria. Em 1990, pela primeira vez, foi ultrapassado o número de um milhão de exemplares. E, nos últimos anos, essa distribuição tem sido de mais de sete milhões de exemplares ao ano. A Bíblia está muito presente na vida das pessoas.

O que o texto bíblico de hoje lembra é que Deus não nos deu apenas as Escrituras para que tivéssemos um exemplar. Ele quer que a Bíblia seja lida. O povo de Israel não conhecia o Livro da Lei. Naquele tempo, era muito difícil que cada pessoa tivesse o seu exemplar. Por isso, o texto de Neemias nos conta, os líderes do povo reuniram as pessoas e leram o texto em voz alta para que todos conhecessem o seu conteúdo.

Ainda hoje, precisamos disso: ler as Escrituras. Lendo podemos absorver o que Deus tem a dizer para nós.

  1. Deus nos dá as Escrituras Sagradas para que elas sejam traduzidas

O segundo ensinamento que podemos extrair é que, quando as Escrituras Sagradas foram lidas diante do povo, elas foram traduzidas. As Escrituras haviam sido escritas originalmente em hebraico. No entanto, na Babilônia, onde o povo tinha vivido em exílio, a língua franca era o aramaico. Hebraico e aramaico são línguas semelhantes. No entanto, para o povo, voltar a ouvir as Escrituras em hebraico não era fácil. Nem todos entendiam. Por isso, era necessário “traduzir”. A palavra que na Nova Tradução na Linguagem de Hoje é “traduzir”, na Almeida Revista e Corrigida é “declarar”, e na Almeida Revista e Atualizada é “claramente”. Declarar e claramente têm a mesma raiz em português e, no caso, têm o sentido de “traduzir”. Traduzir é tornar claro algo a quem não entende a outra língua – no caso, hebraico e aramaico.

O trabalho de traduzir as Escrituras é um dos mais importantes que o povo de Deus precisa realizar. Quando o nosso Senhor Jesus Cristo assumiu a forma humana e viveu entre nós, ele falou a língua que as pessoas falavam. Ele era entendido pelas pessoas em sua própria língua. A obra da tradução da Bíblia acompanha a Igreja Cristã. Os originais bíblicos – em hebraico, aramaico e grego – sempre foram, e continuam sendo, traduzidos. O fenômeno que o povo de Israel vivenciou, e que é descrito por Neemias, continua acontecendo no mundo inteiro. Com o passar dos anos, a língua vai se modificando e o texto bíblico precisa ser novamente traduzido.

Quando Almeida traduziu a Bíblia pela primeira vez ao português, seus contemporâneos entendiam o que ele escreveu. Mas até mesmo ele, o tradutor, reconhecia que seu trabalho precisava ser revisado. Ele mesmo fez revisão da primeira edição do Novo Testamento que ele traduziu ao português. Mais tarde, no século 19, uma revisão mais profunda foi feita e resultou na tradução de Almeida, Revista e Corrigida. Quase 60 anos depois, no Brasil, o português aqui falado era diferente do português das edições da Bíblia em Portugal. Foi lançada, então, no Brasil, a edição de Almeida, Revista e Atualizada. Agora, está sendo trabalhada uma nova edição de Almeida, porque o português falado no Brasil hoje é diferente do falado há 60 anos.

Além disso, a pedido das igrejas, a Sociedade Bíblica lançou, há alguns anos, a Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

Quando no tempo de Neemias o Livro da Lei foi novamente lido ao povo, ele precisou ser traduzido. Isso continua acontecendo nos dias de hoje.

Mas há um outro aspecto na necessidade de tradução que quero lembrar neste Dia da Bíblia. Ainda existem muitas línguas que não têm a Palavra de Deus traduzida. A obra da tradução precisa ser apoiada por todos os cristãos e por todas as igrejas. Se em nosso país temos Bíblias e traduções em abundância, devemos ajudar com nossas orações e ofertas para que a Bíblia chegue a todas as línguas faladas no mundo. Todos têm o direito de ter a Bíblia na língua que fala ao seu coração.

  1. Deus nos dá as Escrituras Sagradas para que elas sejam entendidas

O último ensinamento que quero destacar nesta mensagem é que a Bíblia era

lida e traduzida para que as pessoas pudessem entendê-la. A Bíblia fala ao entendimento das pessoas. Não lemos a Bíblia em hebraico, aramaico e grego, em locais onde as pessoas não entendem essas línguas. Deus fala conosco na língua que entendemos. Ele fala ao nosso entendimento.

Podemos imaginar a cena descrita por Esdras. As Escrituras eram lidas, traduzidas e explicadas com a finalidade de serem entendidas. Uma vez entendidas, pela obra do Espírito Santo as pessoas chegam a fé em Jesus Cristo.

Há muitos relatos de pessoas que começaram a ler a Bíblia e não entendiam o que liam. Quando começaram a comparar as traduções e se aprofundar no estudo do texto, elas entenderam a mensagem de Deus, creram e modificaram a sua vida.

Neste Dia da Bíblia, temos muito a agradecer a Deus. Temos de agradecer a Deus por nos ter nos dado as Sagradas Escrituras. Temos de agradecer a Deus porque pelas Escrituras Sagradas chegamos ao conhecimento de Cristo. Temos de agradecer a Deus porque pelas Escrituras recebemos orientação segura para a vida cristã. Mas temos também de nos colocar à disposição de Deus para que estas Escrituras, a Bíblia Sagrada, não sejam apenas nossa propriedade particular. Como nos conta Neemias, devemos espalhar esta Palavra para que todas as pessoas a ouçam, entendam, creiam e vivam em conformidade com ela.

Que este Dia da Bíblia seja também para nós, um dia sagrado. Que não seja um tempo de lamentação, mas um tempo de gratidão e alegria. Um dia de louvar a Deus pela sua Palavra. Amém.

* Erní Walter Seibert é secretário de Comunicação, Ação Social e Arrecadação da Sociedade Bíblica do Brasil.

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.