Final de Semana

0
16
INTRODUÇÃO

Sexta, sábado e domingo são os “queridinhos” da semana. Há muita gente que conta os dias para o fim de semana chegar. Entretanto, há alguns que não veem com bons olhos a chegada desses dias: estudantes longe da família, pessoas internadas em instituições, etc.

Houve um fim de semana que marcou a história da humanidade. Esses três dias são conhecidos como “Sexta da Paixão”, “Sábado de Aleluia” e “Domingo de Páscoa”. O mundo nunca mais foi o mesmo depois daquele fim de semana!

Os sentimentos experimentados naqueles três dias refletem a situação existencial de todos os seres humanos. Emocionalmente, cada um de nós está na “Sexta da Paixão”, no “Sábado de Aleluia” ou no “Domingo de Páscoa”.

Sexta, sábado ou domingo: em que dia você se encontra?

1) SEXTA: O DIA DA TRISTEZA

Na sexta-feira, o dia virou noite. O chão tremeu. E a esperança morreu numa cruz. Foi o dia mais triste de que se tem notícia!

Muitas pessoas estão vivendo, hoje, um momento de angústia e sofrimento, como se estivessem enfrentando sua própria paixão.

Às vezes, simples palavras são suficientes para escurecer o céu da nossa vida ou fazer o chão desaparecer debaixo dos nossos pés. Por exemplo: “Você está despedido”, “o resultado do exame deu positivo”, “eu quero o divórcio”, “você não passou”, “o cheque voltou”, “a conta chegou”, “teremos que interná-lo”, “a empresa faliu”, “o seu filho foi preso”, “o tratamento não teve sucesso”, “ela não foi encontrada”, “ela não resistiu”, “está tudo acabado”…

O que fez o seu chão tremer? Acredite: a sexta-feira não é o fim!

2) SÁBADO: O DIA DA ESPERA

Depois que Jesus morreu, só o que havia era o nada, o vácuo, o vazio. E o céu estava em silêncio.

Muitas pessoas estão no sábado – o dia da espera. É o dia em que nos damos conta de que sobrevivemos à tragédia da sexta, e então perguntamos: “E agora?”.

Muitos estão vivendo um momento de indefinição e ansiedade. Esse “limbo existencial” é expresso em uma poesia de Carlos Drummond de Andrade, “José”:

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio — e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

3) DOMINGO: O DIA DA ALEGRIA

A sexta e o sábado conduziram os acontecimentos até o domingo. E então, o túmulo ficou vazio, Cristo ressuscitou, e a morte morreu!

Que domingo incrível foi aquele! Transformou todos os domingos! Transformou todas as coisas!

Precisamos ter em mente que Deus cria a alegria a partir da tristeza, a vitória a partir da adversidade, o sorriso a partir da lágrima, e a vida a partir da morte.

Deus é como um artista plástico que trabalha com vasos quebrados. Esse artista toma vasos simples de porcelana, quebra-os e depois cola os pedaços, inserindo ouro entre os cacos. Assim, objetos sem valor se transformam em obras de arte.

Deus apanha os vasos que a vida destruiu, cola com o ouro do seu amor, e faz de nós novas criaturas, para a sua glória e a nossa felicidade!

CONCLUSÃO

Hoje, você está na sexta da tristeza, no sábado da espera ou no domingo da vitória?

Quer seja sexta, sábado ou domingo, Deus está agindo! Ele estava agindo quando Jesus morreu (salvando o mundo), quando Jesus estava no túmulo (preparando a ressurreição) e quando Jesus ressurgiu (derrotando a morte).

Quer seja sexta, sábado ou domingo, Deus está com você! Ele conforta você nas dores, fortalece você na espera, e celebra com você na superação.

Quer seja sexta, sábado ou domingo, você precisa se voltar para Deus! Seja na dor, na indefinição ou na alegria, precisamos estar na presença do Senhor.

Jesus salva, transforma e liberta! Entregue a ele o seu coração!

 

Pr.  Marcelo Aguiar
Colaborador deste Portal

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.