Cristãos foram presos por promover o cristianismo no Irã

0
66

Diante de uma audiência final de apelo em 15 de janeiro em Teerã, dois juízes iranianos, que são cristãos, Saheb Fadaie e Fatemeh Bakhteri, foram convidados pelos juízes Hassan Babaee e Ahmad Zargar a renunciarem à sua fé, que eles recusaram.

Segundo a Christian Solidarity Worldwide (CSW), organização britânica que apoia a liberdade religiosa no mundo, em resposta, os juízes disseram-lhes para esperar um veredicto em seu caso em breve, segundo o site CSW .

Em setembro passado, Saheb Fadaie e Fatemeh Bakhteri foram acusados ​​e condenados por “espalhar propaganda contra o regime”. Ambos foram condenados a cumprir pena de 12 a 18 meses de prisão. Fadaie também recebeu dois anos adicionais no exílio interno em Nehbandan, uma área remota perto da fronteira com o Afeganistão.

Fontes locais informaram que o veredicto confirmando as sentenças afirmava que discussões sobre a doutrina cristã mantidas em igrejas domésticas eram consideradas ataques ao Islã.

Prisão

Fadaie está atualmente cumprindo uma sentença de 10 anos de prisão. Como relatado pela CBN News , ele foi preso com membros da Igreja do Irã, Pastor Yousef Nadarkhani, Mohammadreza Omidi e Yasser Mossayebzadeh, em 13 de maio de 2016, durante uma série de ataques de agentes de segurança em casas de cristãos na cidade de Rasht.

Em julho de 2017, todos os quatro receberam sentenças de 10 anos “por agir contra a segurança nacional” ao “promover o cristianismo sionista”, segundo a CSW. Em maio de 2018, os juízes Babaee e Zargar confirmaram as sentenças dos quatro homens.

Os juízes são acusados ​​de terem desempenhado papéis na repressão à liberdade de expressão no Irã.

“A condenação de Fadaie e Bakhteri por afirmar a doutrina cristã não é apenas uma violação grave do seu direito de abraçar uma crença religiosa de sua escolha, mas também criminaliza a fé cristã, que a constituição iraniana pretende reconhecer. É profundamente preocupante que os juízes Babee e Zargar estejam presidindo o apelo deles, especialmente em vista da exigência inaceitável de que eles renunciem à sua fé; a rejeição por esses juízes de um recurso anterior envolvendo o Sr. Fadaie, e as alegações de que ambos os juízes estão implicados em violações dos direitos humanos”, disse o chefe da CSW.

O executivo Mervyn Thomas disse em um comunicado de imprensa. “Pedimos que o veredicto contra o Sr. Fadaie e a Sra. Bakhteri seja anulado, e exortamos as autoridades iranianas a garantir o devido processo em casos envolvendo minorias religiosas. Também continuamos a instar o governo iraniano a cessar todas as formas de assédio e intimidação de comunidades religiosas pacíficas e a libertar todos os detidos em conexão com sua religião ou crença”.

Com informações de Christian Post e CBN news

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.