Filhos e filhas da graça

0
111

“Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi em vão; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo.” (1 Coríntios 15.10)

Há igrejas que adotam o nome “Comunidade da Graça”. Acho completamente apropriado. O que é de fato uma igreja senão uma comunidade formada por causa da graça? E ela existe para permanecer na graça, para ser uma comunidade onde a graça está presente, é abundante e onde pessoas podem conhecê-la e experimentá-la. A graça de uma igreja é a graça que há e ser revela na vida de cada cristão que dela faz parte. Quanto mais a graça opera em cada um de nós, mais a graça opera na igreja e através da igreja. Pois a graça se revela e se manifesta a partir de pessoas: palavras, atitudes, reações, esforço, compromisso, obras… tornam-se caminhos da graça. 

Uma igreja pode não ter o nome de “Comunidade da Graça”, mas não pode deixar de ser uma comunidade da graça. Se deixar, deixou de ser igreja. A graça precisa estar presente e gerando frutos. Seremos quem deveríamos ser na medida em que formos o que a graça fizer de nós. Diante de nossos fracassos e atitudes erradas, falas e comportamentos que negam nossa fé, a graça é a solução. Devemos ter um coração sensível e quebrantado para nos arrepender, nos envergonhar do mal que praticamos. E, pela graça, continuar seguros de que somos amados e que Deus jamais nos abandonará. Ele conhece nossas maldades, mas escolheu nos amar e ser gracioso. Pela graça podemos nos levantar de nossos piores momentos. Pela graça podemos decidir uma vez mais abandonar o pecado. Pela graça podemos levantar a cabeça e retomar o caminho. 

Pela graça podemos ser mais humildes e motivamos pelo amor. Pela graça, podemos nos sair bem e ser uma grande benção para muitos. Pela graça podemos nos sair bem  sem nos tornar presunçosos. Pela graça podemos permanecer em pé e nem por isso nos considerarmos maiores que nosso irmão que caiu. Pela graça, nossa santidade não nos transformará em fariseus e juízes da vida alheia, mas em bom samaritanos para os feridos de todo tipo. Pela graça poderemos compreender melhor o pecado e os pecadores e assim compreenderemos melhor a nós mesmos. Pela graça poderemos permanecer na supremacia do amor. Paulo disse que era quem era, pela graça. Pela graça sua vida ainda hoje toca a nossa. Que a graça faça o mesmo conosco. Há graça bastante para todos nós. Vivamos dela e manifestemos por aí!

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.