Igrejas não devem criar “blocos de carnaval” para evangelizar, afirma Pastor

0
153

O pastor e escritor Renato Vargens, autor de 24 livros e conferencista internacional, explicou em um artigo a razão pela qual não aprova a criação de “blocos de carnaval evangélicos”, feitos por algumas igrejas sob à alegação de que são usados para evangelizar durante o carnaval.

Vargens lista 7 razões, ressaltando antes de tudo que não é contrário ao evangelismo, mas sim que há circunstâncias apropriadas para isso, sendo o relacionamento diário com pessoas a principal maneira.

“O que me preocupa efetivamente não é o desejo de evangelizar, nem tampouco a vontade de pregar as Boas Novas da Salvação Eterna aos que se perdem e sim a forma escolhida para o desenvolvimento dessa missão”, escreveu o pastor.

“Acredito que a evangelização se dá de forma contínua e de modo relacional, isto é, todos nós somos chamados a evangelizar os que se relacionam conosco através de palavras e testemunhos, durante todo o ano, e não em eventos esporádicos”, defende Vargens.

O pastor, que também estará no 21º Encontro Para a Consciência Cristã em Campina Grande, na Paraíba, entre os dias 28 de fevereiro e 5 de março, pregando sobre o tema “A prioridade do Reino”, lembrou também que “nem toda contextualização é bíblica”, referindo-se ao ambiente do carnaval.

Para Vargens, blocos evangélicos podem abrir portas para o “mundanismo”, podendo “dar ocasião à carne e ao ‘velho homem’, despertando em muitos o antigo prazer pelo pecado”.

De modo direto, Renato Vargens explica que nesses ambientes carnavalescos o foco principal, que seria a pregação do Evangelho, acaba se perdendo, de modo que os cristãos terminam atendendo os próprios interesses carnais, ao invés dos espirituais.

“Ainda que se diga que o objetivo é a evangelização, o que menos se vê é a pregação do Evangelho”, acrescenta o pastor em seu artigo para o Pleno News, concluindo com a passagem de Efésios 5.11-12, que diz:

“E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha”.

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.