Pesquisador diz que CPI da Lava Toga é absolutamente republicana e adequada

0
139

Para o professor e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, Ivar Hartmann, o pedido de criação da CPI da Lava Toga é absolutamente republicana e adequada, e não abalaria o sistema de freios e contrapesos.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar erros de procedimentos de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) é um desejo comum entre muitos parlamentares, principalmente os ligados à direita.

Mas de acordo com Hartmann, há uma diferença entre o “mundo ideal”, e o “mundo real” da política e a investigação poderá ser desvirtuada pelos parlamentares com objetivo de questionar decisões de mérito de ministros da mais alta Corte do país.

“Há uma tendência de essa CPI não seguir um caminho bom para o país, mas ainda assim eu prefiro que essa CPI ocorra do que não ocorra, porque hoje um ministro do Supremo, infelizmente, tem mais poder sozinho do que o Congresso inteiro”, disse o professor.

Um exemplo disso foi a decisão do ministro do STF, Marco Aurélio Mello, que afastou Renan Calheiros da presidência do Senado, em 2016, quando o senador alagoano se tornou réu em ação penal.

“Se uma CPI, mesmo a versão ruim dela, acabar em pizza, ainda assim acho que a existência dela vai colaborar um pouco para tentarmos voltar a uma situação de equilíbrio institucional”, completou Hartmann em entrevista ao Valor Econômico.

Fonte: Gospel Prime

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.