China: Igrejas são forçadas a fechar casas de recuperação, asilos e orfanatos

0
76

No início do ano, um orfanato de crianças cristãs em Xangai, a maior cidade da China, foi forçado a ser fechado pelas autoridades do Partido Comunista Chinês, acusado de estar envolvido em atividades relacionadas a gangues.

A Bitter Winter relatou anteriormente que várias casas de repouso foram fechadas à força por causa do envolvimento dos cristãos no estabelecimento. Além disso, muitos idosos que aderiram à fé cristã estavam sob risco de serem expulsos dos asilos.

Na China, até casas de repouso e orfanatos que foram criados por igrejas e organizações religiosas são perseguidos e, não raro, fechados.

Autoridades de todo o país estão citando o novo Regulamento sobre Assuntos Religiosos, que entrou em vigor em fevereiro de 2018, e proíbe organizações ou indivíduos de usar atividades assistenciais para a evangelização.

Um cristão da província de Guangdong, contou a Bitter Winter sobre a repressão a um centro para pessoas com dependência de drogas estabelecido em 2013 pela igreja doméstica Sola Fide e por seu filho.

Desde que o jovem abandonou as drogas por acreditar em Deus, e na esperança de ajudar os outros com problemas de dependência, a família decidiu estabelecer o centro em sua casa, com a ajuda da igreja.

A supressão começou no quarto ano das atividades do centro. Em junho de 2017, dezoito funcionários de departamentos que lidavam com questões religiosas e de segurança pública invadiram o lugar, alegando que estava envolvido em atividades religiosas.

Os cristãos que estavam ajudando no centro tentaram explicar aos oficiais que com a ajuda das igrejas, menos prisões são necessárias, mas eles não se mexeram. A cruz e outros símbolos religiosos dentro do centro foram derrubados.

Os oficiais forçaram o responsável pela igreja a escrever uma declaração de garantia, prometendo que nenhuma reunião ou atividade religiosa seria realizada no centro no futuro. “Se descobrirmos que você continua fazendo isso, receberá uma multa de 5.000 RMB [cerca de US$ 750] que será imposta a cada pessoa”. Os crentes participantes também foram ameaçados.

Depois da invasão, o responsável pela igreja foi a vários departamentos do governo para solicitar uma permissão para manter o centro de reabilitação de drogas, mas foi rejeitado todas as vezes.

Fé em Jesus

“O centro de reabilitação construiu a confiança e a determinação das pessoas que são ali tratadas através da palavra e do amor do Senhor Jesus, para ajudá-las a superar seu vício em drogas. Esse método não atende aos requisitos do governo, por isso, obter uma aprovação de permissão é muito difícil”, disse um cristão que pertence à igreja Sola Fide.

A polícia continuou a fiscalizar o centro com frequência, certificando-se de que as pessoas com problemas de dependência não estavam realizando reuniões. “O governo não tolera seu método para superar o vício em drogas!”, repreendeu um policial durante uma inspeção feita em agosto de 2018.

Apesar do assédio das autoridades, o chefe da igreja ainda espera ajudar mais pessoas com vício a voltar para suas famílias e reintegrar-se à sociedade.

De acordo com um relatório da China Aid, organização americana de direitos humanos, em novembro de 2016, a Igreja Evangélica para o Tratamento de Drogas, localizada no condado de Guangning, Guangdong, sob a jurisdição da cidade de Zhaoqing, foi fechada.

O marido e a mulher, que são de Hong Kong e responsáveis ​​pela instituição, foram acusados ​​de “espionagem” e deportados. Eles foram proibidos de retornar à China continental por cinco anos. Durante mais de três anos que a Igreja Evangélica para o Tratamento da Droga operou, ajudou mais de 180 pessoas com vícios em drogas, álcool, jogos de azar e Internet.

Com Informações do Guiame

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.