Perseverai em oração 5

0
93

“Dediquem-se à oração, estejam alertas e sejam agradecidos.” (Colossenses 4.2)

A vida cristã é maior que a vida religiosa. Incomparavelmente maior. A religiosa está contida nos limites do espaço e das atividades religiosas. A vida religiosa é importante e pode nos ajudar a nutrir a vida cristã. Mas é preciso que nossa religião esteja submetida e essencialmente ligada ao Evangelho. Precisa expressar majoritariamente o Evangelho e não majoritariamente nossas tradições. A vida cristã é de outra natureza. A vida cristã é a própria vida, sem reservas, incluindo tudo e cada coisa. É a vida vivida de forma cristã. Vivida em resposta ao Evangelho de Cristo, em submissão a Cristo. Cuidar da vida religiosa é importante. Viver a vida de forma cristã é fundamental. Mas tantas vezes nos esquecemos de Deus, tantas vezes percebemos que há uma dicotomia entre a vida no templo e a vida fora dele! A pessoa que anda pela rua e convive em casa não se parece com a pessoa que atua no templo! Dicotomia.

Algumas igrejas respondem a isso ampliando a vida religiosa. Gerando tantos compromissos, encontros, atividades quanto possíveis. Tentando fazer com que a vida religiosa ocupe o máximo de espaço possível da vida. Nesse ambiente respira-se religião o tempo todo. Estamos o tempo todo indo ou vindo de um compromisso religioso. Outra forma de “cristianizar” a vida pelo poder da religião é estabelecendo-se doutrinas para santificar a forma de viver. A vida social passa a ser disciplinada pela igreja, em nome de Deus, para que a vida seja santa. Tem-se regra e doutrina para tudo: namoro, diversão, dieta, relações sociais, vida sexual, uso do dinheiro… Tudo com fortes bases bíblicas a partir do modo como a Bíblia é lida. Isso não é novo! Já acontecida no tempo de Paulo (Cl 2.23).

O próprio apóstolo nos indica caminhos melhores. Um deles é: dediquem-se à oração!  Pela oração poderemos firmar nossa fé e perceberemos mais e melhor a presença de Deus. Poderemos experimentar com Ele uma comunhão que inclui aceitação, submissão e adoração. É assim que de fato cresceremos no conhecimento de Deus e em sabedora para viver a vida. Dedicados à oração poderemos ser religiosos, cristãos, humanos e livres. Nossa religião não adoecerá nosso cristianismo e nosso cristianismo não será filho da religião, mas da graça. Haverá profundidade em nossa liturgia porque haverá vida em nossa espiritualidade. Dedicados à oração superaremos a hipocrisia e o farisaísmo. Amaremos a Deus e às pessoas, verdadeiramente. Dedique-se à oração. Não será possível superar as limitações da religiosidade (e seus riscos) sem que nos encontremos diariamente com Deus para uma boa conversa!

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.