O Papel de um PAI

0
118

Os maridos devem tornar o lar feliz e sagrado. O pássaro que suja o próprio ninho é doente, e o homem que torna seu lar miserável é mau. Nossa casa deve ser uma pequena igreja com a santidade de Deus acimada porta; entretanto, jamais deve ser uma prisão em que há um monte de regras e ordens, mas pouco amor e nenhum prazer. A vida de casado não é sempre doce, mas a graça no coração mantém afastada a maior parte das amarguras.

O marido deve ter prazer em agradar sua esposa; e a esposa, esmero em cuidar do seu marido. Quem é gentil consigo mesmo é gentil com sua esposa. Receio que alguns homens vivam pela lei do individualismo, e quando esse é o caso, a felicidade do lar é uma farsa. Quando os maridos e as esposas são unidos, como a sua carga se torna leve! Em um lar verdadeiro, toda disputa é para ver quem pode fazer o melhor para tornar a família feliz.

Nem todos os pais são sábios. Alguns são como Eli e estragam seus filhos. Não se opor aos nossos filhos é o caminho para transformá-los em uma cruz em nossa vida. Os que nunca castigam os filhos não podem se admirar se seus filhos se transformarem em um castigo para eles. Salomão ensina: “Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma”. Alguns pais são omissos, enquanto outros são apenas irritação e fúria, e isso é ainda pior. Sem vento o moinho fica preguiçoso; contudo, o excesso de vento danifica o moinho. Em geral, os homens que golpeiam com a sua raiva perdem seu limite.

O marido deve ser o “vínculo do lar”, unindo como uma pedra angular, e não esmagando tudo como uma pedra de tropeço. Maridos grosseiros e dominadores não devem ter a pretensão de ser cristãos, pois agem totalmente contra os ensinamentos de Cristo. Por outro lado, um lar deve ser bem comandado, ou se torna uma confusão e um escândalo para a igreja. Uma mistura sábia de amor e firmeza possibilita um bom comando, mas nem a aspereza nem a amabilidade sozinhas mantêm uma casa feliz.

Quando o lar é governado de acordo com a Palavra de Deus, podemos convidar os anjos para passar a noite conosco, e eles não se sentirão fora de seu elemento.

Por : Charles Spurgeon

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.