Ex-chefe do tráfico de drogas vira teólogo e critica a teologia da prosperidade

0
143
Fernandinho criticou líderes religiosos que enriquecem com dízimo

Conhecido como Fernandinho Beira-Mar, chefe do tráfico no Rio de Janeiro, Luiz Fernando Costa se formou à distância na faculdade de Teologia, recebendo o diploma no presídio.

Através da monografia “Jesus Cristo: Exemplo de Vida e Fonte de Sabedoria”, Beira-Mar abordou aspectos da vida de Cristo.

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) agora virou um livro que é vendido na internet, juntamente com canecas, capas de celulares e camisetas.

Segundo o UOL, o presidiário também usou os conhecimentos adquiridos no curso para criticar o cristianismo moderno e alguns líderes religiosos.

“A falta de cultura bíblica do povo e a facilidade encontrada nas palavras das atuais Teologia da Prosperidade e no Movimento Carismático colaboram para que cada vez mais, pastores, acadêmicos e estudiosos se utilizem da cultura cristã moderna, que é falha em conhecimento, direcionando-a aos seus interesses”, argumentou.

Ele ainda usa a abordagem para defender que Jesus Cristo, segundo ele, em nenhum momento prometeu “fortuna na Terra”.

“Jesus foi um grande problema para a classe dominante de seu tempo e ainda O é. Cristo era um Homem que levava sua Palavra sem se preocupar com estabelecimentos, pregava em montes, praias, cidades e templos, levando o Reino de Deus aos que necessitavam, sem prometer a fortuna na terra, e sim a fé, a caridade e o amor”, defendeu.

Apesar do trabalho religioso e do isolamento, em maio de 2017 investigações apontaram que ele conseguiu manter sua atuação através do contato com familiares, amigos e advogados, que repassavam suas ordens.

Beira-mar foi preso em 2001, em um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Redação com Agências

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.