Um chamado para todos nós

0
58

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mateus 11.28)

Este convite é “a cara de Jesus”. Enquanto temos dificuldades com os que nada podem nos dar, com os menos competentes, com os que fracassam e não são confiáveis, Jesus ao contrário, os convida. Ele diz, inclusive, que veio para os doentes e não para os sãos! Veio chamar para si os pecadores, e não os justos! (Mc 2.17) Ele veio buscar e salvar o que se havia perdido! (Lc 19.10). Não sabemos lidar com a fraqueza e imperfeição. Nem a nossa e nem a dos outros. Não temos recursos e nem remédio. Mas Jesus tem. Não sabemos o que fazer. Mas Ele sabe. Até que o cansaço nos alcance de fato, até que nos percebamos adoecidos na vida, até que nos compreendamos perdidos, não iremos de fato a Jesus. Se vamos a Jesus pelo interesse de obter o que pensamos saber que precisamos, estamos indo parcialmente. Iremos completamente, inteiros, se formos por não saber o que precisamos ou queremos. Se formos na fraqueza de quem depende e se vê necessitado.

Saber-se cansado e sobrecarregado é necessário para irmos em direção a Cristo. Um cansaço que pode ter muitas causas, mas todas relacionadas à vida sem a presença e o relacionamento com Deus. Em que lutamos para dar sentido e valor à existência e naturalmente sucumbimos à insuficiência de nossos esforços. Se em lugar de acelerar para resolver, pararmos para ouvir nossa alma, talvez ouçamos o lamento de quem sente falta de algo mais, daquilo que ainda não viu, conheceu ou sentiu. Uma das realidades de nossa vida e que leva a esse cansaço, é nossa transitoriedade, na qual o tempo é o protagonista. O tempo nos leva e leva tudo. O tempo faz de nós e de tudo que construímos, algo passageiro. Vamos partir sem levar nada. Como dizia repetidamente o personagem de Ariano Suassuna, Chicó, na obra O Alto da Compadecida: “porque tudo que é vivo, morre”. E mesmo antes de morrer, a transitoriedade nos esvazia de alguma forma. O tempo muda a vida!

A posição que temos, o poder que está em nossas mãos, às pessoas que temos conosco… nada é para sempre. E faremos bem em perceber isso. E percebendo, nos inconformarmos, ao ponto de estar enfadados, cansados e sobrecarregados. E perceber que está em Cristo a resposta para nosso anseio por mais. Ele, que sendo eterno penetrou a nossa transitoriedade e se fez personagem do tempo. Crendo nele e nos entregando a Ele, aprenderemos com Ele. Ele nos chama a uma escola da vida que é diferente. Nela, primeiramente somos aprovados e depois seguimos aprendendo as lições. Uma escola na medida certa para as necessidades da vida, pois esta, primeiro dá a prova e depois ensina a lição. A vida é exigente e severa. Jesus é gracioso e amoroso. Bem-aventurados, muito felizes, os que ouvem Seu convite e dizem “sim”.

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.