Mara Maravilha não descarta a possibilidade de entrar para a política

0
156

A apresentadora Mara Maravilha concedeu uma longa entrevista e falou sobre sua vida profissional, sua participação no reality show A Fazenda, a possibilidade de entrar para a política e sua pretensão de se tornar mãe, num projeto de adoção ao lado do noivo, mais de vinte anos mais novo.

Atualmente, Mara Maravilha trabalha no programa Fofocalizando, do SBT. Ela passou a fazer parte da equipe pouco depois da estreia do programa, em 2016, e esteve afastada por quase um ano, entre agosto de 2018 e julho de 2019.

À Folha de S. Paulo, Mara Maravilha conta que a oportunidade de voltar à TV e ao SBT, veio no momento certo: “Eu queria e precisava, por vários motivos. Nunca passei necessidade, nunca devi nada pra ninguém, mas não posso me dar ao luxo de dizer ‘não preciso trabalhar’. Apareceu a oportunidade do Fofocando [antigo nome do programa]… de voltar para o lado de Silvio. Não pensei duas vezes”, disse.

Após o retorno ao Fofocalizando, seu foco passou a ser entrevistas. Desde então, conversou com personalidades, desenvolveu um quadro de dicas femininas e também um voltado ao social, em que um artista indica alguém de seu convívio —“de preferência de origem humilde”— para uma transformação.

Com mais de 30 anos de carreira, Mara revelou que está projetando um novo programa na Rede Gospel, que ainda não tem nome nem data de estreia, mas terá participação de artistas do segmento.

A maturidade, segundo a apresentadora e cantora, ajuda a não se importar com pequenas adversidades, como a enfrentada com os colegas de trabalho: “O que vale é a minha consciência. O que dizem de mim não define quem eu sou. Mas eu aprendi e tenho fé de que eles tenham apreendido comigo com esse tempo de convivência. Continuo porque tenho talento e preciso”.

Mara revelou que não pretende deixar de cantar: “Eu amo trabalhar com crianças. Não é algo que eu não queria mais, eu quero. Surgindo oportunidade…”, disse, justificando com uma citação bíblica: “Eu penso assim: tem uma parábola que fala sobre talentos dados por Deus. Você tem que usar e multiplicar esses talentos, nunca guardar por medo de perder. Uso isso, não só como artista, mas na vida, todos devem tentar multiplicar seus talentos. Essa é minha filosofia de conduta de vida, além da fé que é minha prioridade.”

Na entrevista, ela contou que se entregar a Jesus Cristo foi “a melhor coisa” que lhe ocorreu: “Vi que era esse meu ponto de equilíbrio, o Espírito Santo. Não foi uma conversão de religião ou simplesmente de igreja, era um encontro com meu Criador, com meu Pai, que é mais importante”.

“Tive 28 anos de influência de família católica e do espiritismo e, agora, tenho 23 anos já nessa minha nova criatura, que tem muitos defeitos também. Foi a melhor coisa da minha vida. Mais do que sucesso e dinheiro, o mais importante foi a minha conversão”, definiu.

Essa satisfação com a fé a levou a cometer equívocos frutos de ingenuidade, disse. Um deles, no programa A Fazenda, da Record TV, quando se viu cercada de polêmicas e brigas, algumas físicas. “Eu achei que ia para falar de Jesus, ia ganhar todo mundo, louvar. Mas na primeira semana eu vi que não era nada do que eu imaginava. Eu sou Maravilha, que é um lado doce, infantil, mas lá eu vi que teria que ser Mara… Mara significa mulher, mas também é amarga. Descobri que tinha um lado arretado, porreta, um lado da nordestina, da minha mãe, do papo reto”.

Em sua defesa, a apresentadora e cantora ressalta que só foi eliminada do reality show porque “não fui pra debaixo do edredom com o galã que estava me seduzindo, não paguei fio-dental e, talvez, porque existe um público que acha que falar palavrão é bonito. E eu não falo palavrão”.

Apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Mara não descarta a vida na política: “Se Luciano Huck se candidatar a presidente, eu quero ser senadora”, disse, em tom de brincadeira. Ao ser questionada se o desejo é real, respondeu positivamente:“Eu me candidataria, sim. Se tiver brasileiro como eu, que acredite em mim e me apoie…”.

Sem se incomodar quanto à diferença de idade em relação ao noivo, Gabriel Torres, 30 anos, Mara Maravilha rebateu as críticas: “As pessoas falam que ele está comigo por interesse, como se eu não fosse gostosa. Também tem comentários de que ele é gay, mas não sabem o quanto ele é gostoso. É tudo bullying, preconceito”, disse.

Embora sejam noivos, os planos de casamento ainda não são concretos: “Vamos ver, quem sabe?! Amor não está faltando”, contou, reiterando que ainda sonha com a maternidade. Sempre quis [ser mãe], sempre. Um dos motivos de ter casado, as duas vezes, foi para ser mãe. Se Deus quiser, com fé em Deus eu vou conseguir. Está nas mãos d’Ele. Creio que vou ser [mãe], mas se não acontecer eu vou continuar crendo em Deus. É a vontade d’Ele acima de tudo”, finalizou.

Com Informações da Folha de São Paulo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.