Infalibilidade da Bíblia

0
109

Nos dias de hoje, a humanidade discute muito sobre a existência de Deus.

Um dos argumentos é condenatório do próprio humano. Se Deus existe perguntam por que há tanta maldade no mundo. A abundante maldade no mundo é fruto da incredulidade.

Gondim, um pastor paulista, escreveu um artigo cujo título é: Deus me livre de um Brasil evangélico. Eu acrescentaria “de um Evangelho falso”.

A situação caótica não é privilégio do Brasil. O mundo todo está caótico. Há quanto tempo isto foi previsto? Há mais de dois mil anos. Vejamos o estado caótico a partir do estado de coisas brasileiro. O Brasil adora três falsos deuses e é escravizado por eles. Escravo do dinheiro, das drogas e do sexo. Há organizações criminosas em todos os quadrantes, a começar pelos políticos, o que é o mais triste, pois, deles deveria vir o bom exemplo.

Vamos descrever a situação. Um solteirão de 45 anos, com duas pós graduações, após muitos anos de trabalho, está há dois anos sem emprego. Tenho procurado consolá-lo. Nas Igrejas, em geral, chefes de família desempregados. A saúde que o estado oferece é uma calamidade. A segurança não existe. Tomando um cafezinho com um sargento da PM, vez por outra ele saia à porta. Explicou-me: Se apanhado de surpresa é certo que me matam. Pensei: se um policial vive em estado de tensão, vai terminar com que saúde mental?

Agora vamos a uma busca de solução. Jesus, quando veio até a Terra, afirmou: “Vocês são a luz do mundo”. Luz é a solução das trevas. Mas, em sentido prático, o que a Igreja tem feito hoje? Na Europa ela já desapareceu, praticamente. No mundo latino-americano ela é um caça níqueis. Se os testemunhos de cura forem pesquisados, onde irá parar a fé dos pesquisadores? Foi a consequência do autor do livro: “Decepcionado com Deus”. Tire a televisão dos pregadores atuais, como irão se sustentar?

E as Igrejas tradicionais? Como estão enfrentando o sofrimento que medra em seu seio? Ainda não vi sequer preocupação, que se dirá solução! Se a Bíblia é infalível, a solução que ela propõe não falhará. Na prática o que significa o mandamento, “amarás o teu próximo como a ti mesmo”?

Sugiro que, pelo menos, submetamos o tema a debate e surja um pequeno brilho, como tem surgido na questão das drogas.

Pr. Manoel de Jesus The

*Extraído do OJB

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.