Como não ter medo do COVID-19

0
163

A disseminação global do Coronavírus tem assustado muitos de nós.

Algumas pessoas correm para as lojas para comprar produtos não perecíveis e máscaras faciais que não ajudam em nada. Alguns estão comprando todo o desinfetante para as mãos que conseguem encontrar. Outros são totalmente indiferentes ao vírus.

Como deveríamos responder a isso?

Respondendo às más notícias

Os fatos atuais são que o COVID-19, que significa Doença de Coronavírus de 2019, já resultou na perda de mais de três mil vidas. Devemos lamentar essas perdas e orar pelos mais afetados. Minha família está orando, particularmente pela China e pelo mundo em geral, todas as manhãs.

No entanto, a taxa de mortalidade é de pouco mais de três por cento. Em outras palavras, a esmagadora maioria dos que contraem o Coronavírus sobrevive. De acordo com os dados compilados pela Johns Hopkins Whiting School, 51.000 dos 94.000 infectados já se recuperaram. Apesar do aumento de casos, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diz: “Podemos fazer esse vírus retroceder”.

Mas e se não conseguirmos parar o vírus? E se ele se espalhar pelos Estados Unidos, como preveem alguns epidemiologistas?

O Salmo 112 é um bom guia de como devemos responder:

“[O justo] não será jamais abalado; será tido em memória eterna. Não se atemoriza de más notícias; o seu coração é firme, confiante no SENHOR. O seu coração, bem firmado, não teme”.

Más notícias chegam para todos nós. Se não for o vírus, será outra coisa. Vivemos em um mundo caído, onde o sofrimento e a morte são inevitáveis. Viver como se isso não fosse verdade é tolice. A pessoa sábia e justa, no entanto, não precisa temer más notícias.

Uma coisa é prestar atenção às más notícias, lamentar eventos trágicos; outra é viver com medo e ansioso do que possa vir a acontecer. O Salmo 112 nos mostra que é possível olhar para más notícias e dizer: “Você não dominará meu coração”. Isso significa que o surto do Coronavírus é uma ocasião para optar pela fé e não pelo medo.

Nossas emoções podem influenciar, mas a pessoa justa não perde o rumo. Mas como?

Um coração firme

A confiança de uma pessoa justa não está nas boas notícias, em circunstâncias agradáveis ou em evitar sofrimento e morte. Em vez disso, a confiança deles está no Senhor.

O sofrimento, ou a perspectiva de sofrer, tem um propósito de revelar onde realmente depositamos nossa confiança – boa saúde, segurança financeira, um casamento feliz e assim por diante. Mas quando essas coisas são ameaçadas, as rachaduras começam a aparecer em nossa base instável.

No entanto, quanto mais investigamos o caráter de Deus, mais profundamente convencidos podemos estar de que ele é bom e de que ele trabalha bem com o mal. Isso é inabalável.

De fato, Romanos 8.28 nos diz que Deus age para que “todas as coisas cooperem para o bem daqueles que o amam”. Isso significa que toda dor ou tristeza imaginável será dobrada e modelada pelas mãos da Providência para realizar um bem que nunca poderia ser alcançado de outra maneira.

Quem pode oferecer uma promessa tão sólida? Somente o Senhor nosso Deus. E por isso, nossos corações podem estar firmes.

Servindo diante do medo

Como seria um coração firme, sem medo de más notícias, em meio ao Coronavírus? Considere nossos irmãos e irmãs chineses. Aparentemente, as doações baseadas na fé explodiram na China nos últimos dez anos, com protestantes doando US $ 10 milhões para aliviar o sofrimento.

De fato, os cristãos na China estão doando tão generosamente, para ajudar as pessoas infectadas com o Coronavírus, que o governo recusou seus fundos, para que as igrejas não façam o governo parecer incompetente. É relatado que os cristãos chineses não estão escondidos em suas casas, mas estão atendendo aos doentes e distribuindo cuidados.

Ora, isso é amar cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo em honra uns aos outros! (Rm 12.10).

Portanto, embora tenhamos que navegar pelos sentimentos de medo, não precisamos confiar nas circunstâncias ou prognósticos. Nossa confiança está corretamente depositada no Senhor porque Deus é bom – “o tempo todo” – como meus amigos ugandenses pobres e famintos me ensinaram.

“O tempo todo”.

Pr.

Convenção Batista Fluminense
Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.