Nossa obrigação e o papel de Deus

0
63

“Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.” (João 17.15)

Como você está se cuidando neste período de prevenção para evitar o contágio com o COVID-19? Espero que não esteja entre aqueles que estão minimizando os riscos, achando que trata-se de um alarmismo desnecessário. Recentemente ví uma postagem que dizia que tudo isso é apenas uma trama com objetivos políticos e econômicos. Bem, ainda que tenha sido, é inegável que há um vírus com altíssimo risco de transmissão e, neste momento, independente de como tudo começou, precisamos nos proteger. Precisamos de proteção para nossa saúde nesses dias e sempre. Assim como precisamos de proteção espiritual. Estamos expostos a muitos riscos espirituais também. Jesus orou por nós, para que sejamos protegidos do Maligno. Para que não sejamos vitimados espiritualmente, adoecidos e escravizados. Levados a viver de maneira a desonrar a Deus, a quem devemos amar e honrar, ou a ferir a dignidade dos outros, a quem devemos amar como a nós mesmos. E posso lhe assegurar: é vontade de Deus que sejamos responsáveis em nos proteger, tanto contra o Maligno como contra a ameaça de contágio que está sobre nós.

 

Deus tem interesse na saúde de todo ser humano, porque ama a todo ser humano. Podemos orar por isso, mas basicamente tem a ver com nossas atitudes. Pois somos co-responsáveis com Deus pela vida, pelo planeta, por nossa própria saúde. Não devemos orar para que Deus nos livre em substituição aos cuidados que nos cabe ter. Ele pode intervir em qualquer situação, mas há situações em que não cabe Sua intervenção. A proteção dependerá de nós mesmos, de nossa atitude e cuidado. Pois há responsabilidades que são nossas. Temos um papel a cumprir na proteção da vida. Nossa e dos outros! Mesmo no campo espiritual, há cuidados que cabem a nós. Jesus orou para que fossemos protegidos do Maligno, mas nós também precisamos agir de maneira a nos manter protegidos. O próprio Jesus que orou para que fossemos guardados também disse que devemos orar e vigiar pois, embora o espírito esteja pronto, a carne é fraca! (Mt 26.41). E a carne é fraca em muitos sentidos. Diante do Maligno e diante de um vírus. E cada dimensão de nossa vida pede um cuidado diferente. Há cuidados espirituais para os riscos espirituais e há físicos, para os riscos físicos. E é nosso papel observa-los.

 

Fisicamente, neste momento, ficar em casa, evitar se expor em ambientes com muitas pessoas e reduzir drasticamente o contato físico, é muito importante. É mais importante que ir à academia, ir ao templo, ir à escola. Neste momento o cuidado físico é altamente prioritário. E junto com ele podemos (e devemos) nos dedicar mais ao cuidado espiritual. Creio que com a mudança em sua rotina seja mais fácil encontrar tempo para ler, para meditar e orar. Aproveite! Sugiro que escreva uma boa declaração de propósito para seu ano. Liste objetivos espirituais e compromissos que precisa levar mais a sério. Trabalhe para sair melhor deste momento de reclusão forçado. Perceba os benefícios de estar mais em casa. Você não precisa sair todas as noites ou todas as semanas. Você pode orar mais, pensar mais em Deus e nas pessoas, visando o bem delas. Espero que aproveite este tempo com sabedoria. Como se diz, há males que vem para bem! Ou pelo menos, podem vir para bem!

Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.