A Verdade vos libertará

0
127

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32).

Este versículo santo está na boca de cada profano e pagão no Brasil. Usam-no como clichê e chavão para fomentar suas ideologias de ódio ou suas supostas descobertas irrefutáveis. Nada mais distante do que o texto citado dizia. Aliás, se perguntarmos aos que o citam quem disse a frase, certamente responderão: “Jesus”. E se perguntarmos para quem Ele afirmou isso não saberão responder.

Assim, no afã de colocar a frase na boca certa, na ordem certa, para os destinatários certos, pela motivação certa, quero citar 7 coisas:

1) FOI JESUS CRISTO QUEM AFIRMOU – Sim, a frase veio de Seus lábios sacrossantos. São palavras dEle, citadas por João, o evangelista, um dos doze apóstolos. João foi o apóstolo que mais tempo viveu (mais de cem anos), que também escreveu três cartas no Novo Testamento e o livro da Revelação, chamado APOCALIPSE. Ele foi chamado de “discípulo a quem Jesus amava” e “apóstolo do amor”. Era irmão de Tiago (o maior, morto pela espada de Herodes logo no início da Igreja de Cristo) e tornou-se o cuidador da mãe de Jesus (o primogênito de Maria, ao ser morto no Calvário, incumbiu-o de zelar pela mãe que deixava).

2) ELE REFUTAVA OS JUDEUS – Eles haviam levado uma adúltera pega em flagrante para que Jesus a apedrejasse (ou concordasse com isso). A Lei de Moisés dizia que ambos, homem e mulher, pegos em adultério, deveriam ser apedrejados (não apenas a mulher). Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera. (Lv 20:10). Como não consideravam a mulher, à revelia da própria Lei, iriam puni-la, esquecendo-se do homem. Jesus é colocado no centro da controvérsia e expõe a hipocrisia deles: “E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela. (Jo 8:7). Então passam a discutir o ministério de Jesus, se Ele realmente era o Messias. Passam a dizer que Ele testificava de Si próprio, perguntavam quem era o Seu Pai etc. Afirmou-lhes que iriam buscá-Lo, mas não O encontrariam. Questionaram se Ele queria suicidar-Se ou que lhes apresentassem o Seu Pai. Ele afirmou: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis quem EU SOU. (Jo 8:28). “EU SOU” aludia ao conhecido texto de Êxodo 3.14, quando Deus se identifica como JEOVÁ, “EU SOU O QUE SOU”. Alguns que o ouviam passaram a crer nEle. Então afirmou A ESTES: “Se permanecerdes na Minha Palavra sereis Meus discípulos. E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. (João 8.31-32).

3) JESUS ERA A VERDADE – Ele afirmou categoricamente em outro capítulo: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Jo 14:6). Conhecer a verdade é conhecer a Jesus Cristo. E quem conhece a Jesus Cristo o faz através da Bíblia, a Palavra de Deus. Em sua oração sacerdotal Jesus afirma: “Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade”. (João 17.17). Diante de Pilatos Jesus declarou:  Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. (Jo 18:37).

4) SOMENTE ESTA VERDADE SALVA O HOMEM – Era isso que Ele queria dizer: quem O conhecesse como Senhor e Salvador seria salvo, transformado, perdoado, santificado, esclarecido. E quem não O conhecesse não seria. Ele não falava de ideologia política, nem de confronto de idéias, nem de debates filosóficos e nem de teologias diversas. Ele falava DELE MESMO, isto é, CONHECEREIS A MIM E EU VOS LIBERTAREI. A continuação de Seu diálogo corrobora com esta afirmação: “Se, pois, O FILHO vos libertar VERDADEIRAMENTE SEREIS LIVRES” (idem, verso 36).

5) ARRANCAR O TEXTO DO CONTEXTO É PRETEXTO – Hoje tudo tornou-se plástico e falso, inclusive essa frase na boca de incautos e falsos cristãos, políticos e enganadores da fé pública. Assim como uma pérola no focinho de uma porca evoca bizarrice (uma porca não combina com um enfeite de tal magnitude) também é bizarro ouvir um político, um ideólogo ou um defensor de alguma idéia usar livremente a frase de Jesus Cristo sem atentar para o seu verdadeiro significado! Macularam o que Cristo disse, secularizaram o que era celestial, materializaram o que era espiritual!

6) CRISTÃOS QUE UTILIZAM A FRASE POLITICAMENTE SÃO PECADORES – Sim, pastores e formadores de opinião cristãos que utilizam-se dessa frase para defender os seus políticos de estimação, os seus criminosos de preferência ou as ideologias que mais cabem na sua cabeça secularizada pecam gravemente contra o Senhor. Amanhã dirão: “MEU POLÍTICO É O PÃO DA VIDA”, “MEU LÍDER É O MESSIAS PROMETIDO”, “MEU PARTIDO É O POVO ESCOLHIDO DE DEUS”. Anátema aos blasfemos que lançam as suas pérolas aos porcos deste mundo que chafurda no pecado!

7) ESTÁ NA HORA DE DIZERMOS “NÃO” PARA TAMANHA AGRESSÃO AO EVANGELHO – Deus NUNCA autorizou transformar o Senhor Jesus Cristo em agente de manobra para poderes políticos, para convencimento ideológico ou para enganar os incautos religiosos evangélicos e conservadores na luta de classes e de partidos políticos. “O MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO. SE FOSSE OS MEUS SÚDITOS LUTARIAM POR ELE”. Quem disse isso foi JESUS em João 18.36.

Chega de engano! Chega de logro! Chega de ídolos da política! Chega de militância no reino do deus deste século, do príncipe deste mundo, quem cegou os olhos dos homens e os conduz ao erro, ao pecado e a falsa religiosidade. Chega de meter o evangelho nos palácios governamentais! SÓ JESUS CRISTO É A VERDADE.

Que O conheçam e sejam libertados de tanta mentira e logro!

Pr. Wagner Antonio de Araújo
Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel em Carapicuíba – São Paulo
Colaborador deste Portal

 

Convenção Batista Fluminense
Compartilhar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.